Vereador tucano repudia posição do governo Bolsonaro sobre o plástico

41
O vereador Rafael De Angeli (PSDB) repudia a posição do governo federal com relação ao plástico

O vereador Rafael De Angeli (PSDB) protocolou, na Câmara Municipal de Araraquara, uma moção de repúdio pela escolha do governo federal em não se fazer presente no grupo de 187 países que apoiam a resolução da ONU para diminuir a produção do plástico de uso único, para fomentar pesquisas no sentido de descobrir alternativas e fazer estudos científicos para a reciclagem e pelo posicionamento contrário ao “Planeta Limpo, Pessoas Saudáveis: Boa Gestão de Produtos Químicos e Resíduos”, acordo conseguido em Genebra.

No documento protocolado na semana passada, o vereador ressaltou que o Brasil e os Estados Unidos estão entre os cinco países que mais produzem lixo plástico no mundo e que, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), a poluição proveniente do lixo plástico atingiu proporções epidêmicas com uma estimativa de 100 milhões de toneladas de plástico encontradas atualmente nos oceanos. Ele lembrou ainda que, após a criação do Plano Nacional de Combate ao Lixo no Mar, anunciado durante os cem primeiros dias do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), ouve o anúncio de R$ 40 milhões que seriam investidos na área, mas ainda não saiu do papel.

O tucano fez uma consideração que, em pouco mais de 50 anos, a produção mundial de plástico aumentou de forma expressiva, de 2,1 milhões de toneladas em 1950 para 407 milhões em 2015 e, que o impacto ambiental do lixo plástico no oceano e, consequentemente, na cadeia alimentar, tornou-se uma verdadeira preocupação ambiental para governos, cientistas, ONGs e pessoas comuns do mundo inteiro e, cada vez mais governos estão tomando medidas ambientais para limitar a produção e o uso do plástico e conscientizando a população mundial para a importância de um uso responsável desse material e, sobretudo, melhorar as estruturas de recolha e tratamento dos resíduos.

De acordo com De Angeli, o documento pede que seja oficiado aos Excelentíssimos Senhores Jair Messias Bolsonaro, Presidente da República, Davi Alcolumbre, Presidente do Senado Federal, Rodrigo Felinto Ibarra Epitácio Maia, Presidente da Câmara dos Deputados e Ricardo Salles, Ministro do Meio Ambiente, a moção de repúdio.

Ele requereu também que o requerimento seja levado ao conhecimento das principais Câmaras Municipais do Estado de São Paulo e das Assembleias Legislativas de todo o Brasil, solicitando apoio à matéria.