Requerimento questiona cuidados para prevenção ao coronavírus na Casa Transitória

Documento foi encaminhado pelo vereador José Carlos Porsani à Prefeitura

37

Considerando que a Casa Transitória de Araraquara é um local com grande potencial de transmissão do coronavírus e funciona 24 horas por dia, sem segurança patrimonial, o vereador José Carlos Porsani (PSDB) apresentou o Requerimento nº 374/2020 ao Executivo, questionando os cuidados que estão sendo tomados.

“Os servidores que atuam neste local acolhem pessoas vulneráveis em situação de rua e também os chamados itinerantes, oriundos dos mais variados lugares que não têm onde ficar em Araraquara”, lembra o parlamentar.

Porsani destaca, ainda, que muitos dos acolhidos na Casa Transitória são dependentes químicos, muitos sem discernimento para compreender questões como contágio de doenças, muito menos a gravidade da Covid-19, doença causada pelo coronavírus.

O vereador informa que, no dia 25 de março, dirigentes do Sindicato dos Servidores Municipais de Araraquara e Região (Sismar) fizeram uma vistoria na unidade e identificaram que não há condições de trabalho adequadas que colaborem para evitar a propagação do coronavírus. “Não há álcool em gel, não há como manter a distância necessária entre as pessoas. A constatação é de flagrante vulnerabilidade dos servidores lotados na Casa Transitória”, informaram.

Nesse sentido, Porsani questiona quais as atitudes que estão sendo tomadas quanto à Casa Transitória, se os funcionários estão recebendo equipamentos de proteção individual (EPIs), se as condições de trabalho destes funcionários estão adequadas, se está sendo feito um trabalho com as pessoas acolhidas para conscientização da Covid-19, se os veículos que fazem o transporte dessas pessoas estão sendo higienizados, e se a Casa Transitória está sendo higienizada diariamente, tanto a parte interna como a externa.