Quebra queixo – Pau mandado

1

 

 

 

Pau mandado

O ex-governador de São Paulo e candidato à Presidência Geraldo Alckmin (PSDB) centrou fogo em Jair Bolsonaro (PSL) durante caminhada pelo Mercadão de Madureira, zona norte do Rio de Janeiro, na tarde dessa segunda-feira (24).

“Eu não vou ser pau mandado de banqueiro para aumentar imposto, para reduzir imposto de renda de rico, para criar a CPMF, para onerar o povo”, disse, em referência a Bolsonaro e seu guru econômico, Paulo Guedes.

Alckmin afirmou, ainda, que Bolsonaro não será capaz de impedir a volta do PT à Presidência, mesmo que, segundo ele, algumas pessoas votem no candidato do PSL por acreditarem que apenas ele poderia vencer a candidatura petista.

Ciro no ataque

Ciro Gomes (PDT), terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto, atacou na manhã dessa segunda-feira (24) seus principais adversários: Jair Bolsonaro (PSL) e o PT. O pedetista cumpriu agenda em Madureira, no Rio de Janeiro.

Ciro, de forte expressão no Nordeste, não citou o nome de Fernando Haddad (PT) e fez ressalvas quanto à culpabilidade do ex-presidente Lula (PT), mas, surfando no antipetismo, criticou o partido por ter roubado os cofres públicos.

“De um lado, o fascista (…) do outro lado, o PT, que fez muita coisa pelo Brasil, mas depois se acostumou com o poder e passou a roubar de forma absolutamente vergonhosa”, disse.

Ciro afirmou que ele mesmo considera injusta a prisão de Lula, mas ressaltou que o ex-ministro da Fazenda Palocci, um dos protagonistas do lulismo, é réu confesso.

Temer e a democracia

Em seu primeiro compromisso oficial em Nova York, nos EUA, o presidente Michel Temer buscou assegurar a uma plateia formada por cerca de cem empresários que nenhum dos candidatos que disputam a Presidência colocou em dúvida a democracia no país.

Temer faz uma passagem rápida por Nova York, onde abrirá, às 9h (horário local), a Assembleia Geral da ONU nesta terça-feira (25). Às 14h, ele retorna a Brasília.

Em sua fala ontem (24), ele afirmou que sua proposta era analisar o presente e, “especialmente”, o futuro do país. “Hoje, não existe no Brasil, posso assegurar a todos, qualquer espaço político para que prosperem alternativas ao estado democrático de direito”, afirmou o presidente, que participou de almoço oferecido pela Câmara de Comércio dos Estados Unidos.