Experiências de participação popular e movimentos sociais encerram Congresso

4

Duas mesas temáticas fecharam, na tarde de sábado (16), a programação de debates do I Congresso Internacional de Democracia Participativa: Participação Popular e Economia Solidária, realizado entre os dias 14 e 16 de março, no Cear – Centro Internacional de Convenção.

A secretária de Planejamento e Participação Popular, Maria José Scárdua, e Alcindo Sabino, coordenador de Participação Popular, conduziram os trabalhos, que começaram com o tema ‘Experiências e avaliações dos processos e instrumentos de participação popular’.

Falaram sobre o primeiro tema Claudia Horta Ferreira, vereadora de Participação e Cidadania, Administração, Recursos Humanos e Tecnologias de Informação e Comunicação de Torres Vedras; a professora Carla Gandini Giani Martelli, do Geppade (Grupo de Estudo e Pesquisa Participação e Democracia) da FCL; Claudia Pilar Lizárraga Aranibar, da Bolívia, pesquisadora da Comunidade de Estudos Jaina e membro do Clacso, e Juan Wahren, da Argentina,  coordenador do Grupo de Estudos Rurais e do Grupo de Estudos sobre Movimentos Sociais da América Latina.

Foram apresentados projetos bem sucedidos implantados na área de economia solidária, entre eles o Orçamento Participativo em Torres Vedras, em Portugal, que está no seu quarto ano; experiências da Bolívia e Argentina, contextualizados com a atual conjuntura política e econômica desses países e a relação dos movimentos sociais com os governos de cada um.

Também foi debatido o tema ‘A organização da sociedade e os movimentos sociais’, com o professor Henrique Carmona Duval, da UFSCar e do Nupedor (Núcleo de Pesquisa e Documentação Rural) da Uniara; Preto, da Cufa (Central Única de Favelas); Kelli Mafort, do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra); Anderson da Silva, do MNCR (Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis); Leonardo Pinho, presidente da Unisol Brasil, do Conselho Nacional de Direitos Humanos e da Abrasme (Associação Brasileira de Saúde Mental); Buiu, da Unas Heliópolis (União de Núcleos e Associações dos Moradores de Heliópolis e Região); Manoel Del Rio, da FLM (Frente de Luta por Moradia);  Luciano Pizzone, da Feara (Federação das Entidades do Terceiro Setor de Araraquara); Grasiela Lima, do projeto Promotoras Legais Populares e Coletivo Bennu, e representantes do Coletivo RolêFeira.

O tema foi ilustrado com experiências, programas, práticas, demandas e desafios dos  movimentos sociais representados  pelos componentes da mesa.

Após as mesas temáticas, o prefeito Edinho e parceiros do evento, assinaram a carta do I Congresso Internacional de Democracia Participativa: Participação Popular e Economia Solidária, se comprometendo, entre outras diretrizes, a de fomentar ainda mais o setor em Araraquara.

Também foi acordado neste sábado que o II Congresso Internacional de Democracia Participativa: Participação Popular e Economia Solidária, em 2020, será realizado em Torres Vedras, Portugal.