Curtas de terça-feira – 02 de julho

6

Plenária do OP escolhe ‘Casa das Margaridas’

A plenária temática das Mulheres do Orçamento Participativo escolheu como prioridade, por unanimidade, a implantação de um programa chamado “Casa das Margaridas”, um local de acolhimento onde as mulheres e seus filhos e filhas em situação de vulnerabilidade social e econômicapossam reorganizar suas vidas e receber apoio.

Esse projeto será colocado no Orçamento da Prefeitura para planejamento e execução em 2020. A plenária, que reuniu 107 mulheres, foi realizada no Centro de Referência da Mulher, na manhã de sábado (29).

“Parabéns a todas as mulheres que se mobilizaram e lotaram a plenária, reivindicando seus direitos. Com o OP, a população escolhe os rumos para onde a cidade vai”, afirmou o prefeito Edinho.

Escola do Legislativo participa de palestras Luzes para o Amanhã

Realizado por uma parceria entre a Escola de Governo do Município de Araraquara (EGMA), a Escola do Legislativo (EL) e o Centro Acadêmico de Administração Pública (CAAP) “Murilo Rosendo da Silva”, o ciclo de palestras Luzes para o Amanhã foi lançado, na quarta-feira (26), no anfiteatro da Faculdade de Ciências e Letras (FCL) da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Araraquara.

O projeto consiste na gravação e disponibilização das palestras dos especialistas convidados, em videoteca (física e virtual) da Escola de Governo do Município de Araraquara. Dentro da programação, serão abordados temas atuais, que impactam a vida coletiva, a governabilidade e a governança pública, com o objetivo de esclarecer ou ajudar a equacionar os problemas e dilemas envolvidos, apontando caminhos para a atuação do poder público em seus diversos níveis, principalmente o municipal.

Com emissão de certificados aos inscritos, os eventos serão abertos ao público em geral, mas terão como público-alvo específico políticos, funcionários públicos municipais, militantes de conselhos e dos movimentos sociais e estudantes de Administração Pública e áreas correlatas.

Pedido de Aécio é negado e inquérito seguirá na JF de SP

O juiz federal João Batista Gonçalves, da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo, especializada em lavagem de dinheiro e crimes financeiros, indeferiu pedido da defesa do deputado federal Aécio Neves e determinou que seja mantido em São Paulo inquérito policial que investiga “doações” do empresário Joesley Batista ao político.

O inquérito tramita em São Paulo, pois está vinculado ao processo em que Aécio foi acusado pela Procuradoria Geral da República pelos crimes de corrupção passiva e obstrução da Justiça por ter solicitado e recebido R$ 2 milhões do empresário durante uma reunião no Hotel Unique, na capital Paulista. Essa denúncia da PGR foi recebida pelo Supremo Tribunal Federal em 2017.

O caso veio para a Justiça Federal de São Paulo em fevereiro deste ano.