Curtas de sábado – 20 de julho

1

Brasil sem fome?
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que não existe fome no Brasil. “Falar que se passa fome no Brasil é uma grande mentira. Passa-se mal, não come bem. Aí eu concordo. Agora, passar fome, não”, disse em café da manhã com correspondentes internacionais.
“Você não vê gente mesmo pobre pelas ruas com físico esquelético como a gente vê em alguns outros países pelo mundo”, disse o presidente, sem citar nominalmente as nações que mencionou na declaração.
A fala foi uma resposta do presidente a uma representante do jornal espanhol El País, em Brasília, que disse que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, havia manifestado preocupação com a desigualdade no Brasil e quis saber que trabalho o governo tem realizado para reduzir a pobreza no país. Mais tarde, ao final de um evento em comemoração ao Dia Nacional do Futebol, o presidente amenizou a fala e reconheceu “alguns passam fome” e afirmou que era inadmissível isso ocorrer num país com as características naturais do Brasil.

Consumo em queda
A Intenção de Consumo das Famílias (ICF), medida pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), recuou 1,7% na passagem de junho para julho deste ano e chegou a 89,8 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos. Essa foi a quinta queda consecutiva do indicador.
Os sete componentes do ICF tiveram queda, com destaque para perspectiva de consumo (3,2%) e momento considerado adequado para a compra de bens duráveis (3,8%).
“A variação de 1,7% mostra, pela quinta vez, a queda do índice, mostrando uma relativa insatisfação das famílias com relação ao momento da economia, uma certa frustração em relação ao início do ano e mostrando também que elas se apresentam bastante cautelosas em relação aos gastos”, disse o pesquisador da CNC Antonio Everton.

Conselho de Usuários do transporte coletivo toma posse amanhã (22)
O prefeito Edinho dará posse nesta segunda-feira (22), às 18h, ao Conselho de Usuários de Transporte Coletivo de Araraquara. O órgão é composto por 33 integrantes, sendo 26 representantes da sociedade civil e 7 do Poder Público, com mandato de 2 anos e o direito a mais uma recondução ao cargo sem receber remuneração.
Instituído pela Lei nº 5684, de 27 de setembro 2001, este Conselho foi reformulado pela Lei nº 9.459, de 4 de fevereiro de 2019, que criou a Conferência Municipal do Transporte Coletivo para a elaboração do Plano Municipal de Políticas Públicas para os Usuários do Transporte Coletivo.
A reformulação também possibilitou a criação de 12 Conselhos Regionais de Usuários do Transporte Público e 28 Conselhos Sub-Regionais de Usuários do Transporte Público, a partir da representatividade regional do Orçamento Participativo – OP.
Vale destacar que o Conselho de Usuários de Transporte Coletivo visa à participação da sociedade organizada, em especial dos usuários do transporte público coletivo, no processo de planejamento e gestão desse serviço na cidade para seu constante aperfeiçoamento.