Bolsonaro diz que comunidade internacional voltou a confiar no Brasil

44
O presidente Jair Bolsonaro participa da Solenidade dos 300 dias de Governo

O presidente Jair Bolsonaro reuniu nesta ter√ßa-feira (5) seus ministros para uma cerim√īnia, no Pal√°cio do Planalto, que marca os 300 dias de seu governo. No evento, foram divulgados dados como a cria√ß√£o de 761 mil novos postos formais de trabalho, nos √ļltimos nove meses. Outro destaque foi a redu√ß√£o da viol√™ncia. Segundo o governo, o n√ļmero de estupros caiu 12% e o de homic√≠dios teve redu√ß√£o de 22%.

Durante a cerim√īnia, Bolsonaro assinou uma medida provis√≥ria que tira o monop√≥lio da Casa da Moeda para fabrica√ß√£o de papel-moeda e passaporte. Ele tamb√©m assinou um projeto de lei que trata da privatiza√ß√£o da Eletrobras.

Ao discursar, Bolsonaro disse que n√£o h√° mais desconfian√ßa da comunidade internacional no Brasil. ‚Äú√Č duro voc√™ ser recebido em outros pa√≠ses com o manto da desconfian√ßa e isso acabou. O pr√≠ncipe herdeiro da Ar√°bia me disse que n√£o voltar√≠amos de m√£o abanando para o Brasil. No dia seguinte, o ministro [da Casa Civil], Onyx [Lorenzoni], anunciou o investimento no Brasil US$ 10 bilh√Ķes‚ÄĚ.

Em seguida, o presidente afirmou que tem total confian√ßa em seus ministros. ‚ÄúEu confio nos meus 22 ministros. De vez em quando tem alguma fofoca, ou intriga ou fuxico, mas internamente sabemos o que est√° acontecendo‚ÄĚ.

 

Pacto federativo

Em seu discurso, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, destacou a proposta do governo ao pacto federativo. Lorenzoni afirmou que o governo federal ir√° repassar a estados e munic√≠pios mais de R$ 450 bilh√Ķes nos pr√≥ximos anos.

‚ÄúHoje √© uma data hist√≥rica. O governo, C√Ęmara e Senado passam a discutir o pacto federativo. Chega de prefeito andando com pires na m√£o. Nos pr√≥ximos anos ser√£o transferidos mais de R$ 450 bilh√Ķes para estados e munic√≠pios‚ÄĚ. A proposta do pacto federativo foi entregue hoje ao Congresso Nacional.

Em sua fala, o ministro reafirmou o respeito da comunidade internacional ao Brasil. ‚ÄúO ministro [das Rela√ß√Ķes Exteriores] Ernesto [Ara√ļjo], junto com o presidente, tem constru√≠do uma rela√ß√£o com pa√≠ses desenvolvidos. [‚Ķ] Assistimos no Jap√£o, na China, nos Emirados √Ārabes, no Catar e na Ar√°bia Saudita o respeito, a confian√ßa que os dignat√°rios, os ministros e os investidores t√™m pelo Brasil‚ÄĚ.

Investigação e imprensa

No discurso, Bolsonaro voltou a comentar as investiga√ß√Ķes sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco. Para ele, a imprensa quer ‚Äúcolocar no seu colo‚ÄĚ a morte de Marielle porque um dos poss√≠veis autores do crime vive no mesmo condom√≠nio onde a fam√≠lia do presidente tem uma casa, no Rio de Janeiro. Bolsonaro reafirmou que a sua presen√ßa em Bras√≠lia, √† √©poca em que era deputado federal, pode ser comprovada pelo registro em painel da C√Ęmara dos Deputados. ‚ÄúN√£o √© uma imprensa que colabora com o Brasil. N√£o satisfeita, diz agora que tem um segundo porteiro. Mas o meu dedo no painel de vota√ß√£o √© mais importante.‚ÄĚ

Na semana passada, o Jornal Nacional, da TV Globo noticiou que, em depoimento √† pol√≠cia, um porteiro do condom√≠nio disse ter ligado, a pedido de √Člcio Queiroz, suspeito da morte da vereadora, para a casa da fam√≠lia do presidente. Segundo a reportagem, o porteiro contou que ‚Äúseu Jair‚ÄĚ havia autorizado a entrada do visitante. Segundo o Minist√©rio P√ļblico do Rio de Janeiro, no entanto, o porteiro mentiu sobre a liga√ß√£o.

O presidente tamb√©m defendeu o direito de seu filho Eduardo, que √© deputado federal pelo PSL de S√£o Paulo, de expressar sua opini√£o. ‚ÄúNa C√Ęmara eu respondi a mais de 30 processos [na Comiss√£o de √Čtica]. Espero que meu filho Eduardo n√£o entre nessa linha. Mas, em todos os momentos, a C√Ęmara respeitou o sagrado direito de opini√£o, seja ela qual for.‚ÄĚ

Na semana passada, em entrevista, Eduardo afirmou que, se houver uma radicaliza√ß√£o da esquerda no pa√≠s, poderia ser editado um novo AI-5 no pa√≠s. Criado no governo militar, em 1968, o ato institucional fechou o Congresso Nacional e autorizou o presidente da Rep√ļblica a cassar mandatos de parlamentares e suspender direitos pol√≠ticos dos cidad√£os. Horas depois, Eduardo Bolsonaro pediu desculpas pela declara√ß√£o.