Delegado da DIG desmente boatos sobre caso Yasmin

64
O delegado da DIG, Dr. Fernando Bravo, é o responsável pelo caso

José Augusto Chrispim

A Pol√≠cia Civil desmentiu, nessa quinta-feira (13), boatos que estariam correndo na cidade sobre um material apreendido com o autor do homic√≠dio da estudante Yasmin Nery, no √ļltimo domingo (9). De acordo com os rumores, haveria prova de um poss√≠vel planejamento de um ataque a uma escola como o que ocorreu em Suzano, no in√≠cio do ano, nos arquivos do computador do jovem.

Em entrevista ao O Imparcial, o delegado da Delegacia de Investiga√ß√Ķes Gerais (DIG) de Araraquara, Dr. Fernando Bravo, desmentiu os boatos e ressaltou que um caso de grande repercuss√£o como este sempre levanta v√°rias teorias, mas que nem sempre elas se mostram verdadeiras. Entre os rumores, havia uma suposi√ß√£o que o jovem acusado da morte de Yasmin estaria planejando juntamente com um amigo, repetir em Araraquara o massacre que aconteceu na escola de Suzano, onde um adolescente e um homem mataram cinco alunos e duas funcion√°rias.

O delegado respons√°vel pelo caso disse que o laudo da per√≠cia que ser√° efetuado no computador do adolescente ainda n√£o foi liberado, por√©m, tudo que havia a ser mostrado j√° foi dito no inqu√©rito. ‚ÄúA toda hora algu√©m liga aqui na delegacia para perguntar alguma coisa sobre o crime. Uma pessoa me perguntou se seria investigada porque era amiga do menor infrator. N√≥s da pol√≠cia trabalhamos com fatos e n√£o damos margem para interpreta√ß√Ķes. Tudo ser√° apurado e, caso apare√ßa algum fato novo, a imprensa ser√° avisada‚ÄĚ, concluiu Bravo.