Parada LGBTQIA+ reúne grande público em busca de igualdade e contra o preconceito

48

Não há dúvida de que o movimento LGBT araraquarense é representativo. A realização da 10ª edição da Parada do Orgulho LGBTQIA+, no último domingo, é prova disso: o evento reuniu um grande público para celebrar a diversidade e para resgatar a história do movimento LGBT no mundo, celebrando os 50 anos de sua existência e, claro, alertando para o respeito e para os direitos LGBTQIA+.

Por isso, o tema “De Stonewall a liberdade” veio à tona com a concentração no Parque Infantil, onde foram apresentadas performances de artistas selecionados por edital e também de convidados. Um público bastante variado, formado por pessoas de todas as idades, LGBTs ou aliados da causa, compareceu à concentração no Parque Infantil, onde foi realizado um ato político, contando com a participação do prefeito Edinho Silva e outras autoridades. “A Parada teve início na nossa cidade no meu primeiro governo e foi retomada em 2017, após cinco anos de interrupção. O movimento pode contar sempre com meu apoio para continuar na sua busca por direitos. Uma sociedade justa é uma sociedade sem preconceitos”, defendeu Edinho.

O prefeito destacou que Araraquara conta com uma Plenária Temática do Orçamento Participativo voltada à população LGBT. “Por meio do OP, a comunidade tem tido importantes conquistas como o Centro de Referência LGBT, um Ambulatório Trans e a casa abrigo para pessoas LGBTQIA+. Isso mostra a força do movimento que está no caminho certo e tem se mobilizado para conquistar direitos na nossa cidade. Todos querendo uma Araraquara sem ódio, sem discriminação, que seja acolhedora e democrática”.

A concentração no Parque Infantil seguiu em marcha até a lateral do Ginásio de Esportes Castelo Branco – Gigantão, sendo o trajeto realizado pela Rua 9 de Julho e Avenida Bento de Abreu até o ginásio.

“Há 50 anos uma travesti negra, drag queen, marginalizada pela sociedade -através de um ato de coragem e rebeldia – fundava o movimento LGBT e, em nome dela, Marsha P. Jonhson, eu saúdo e agradeço a todos que estiveram nesta edição da Parada, que foi muito simbólica para as pessoas LGBTs pois, além de celebrarmos os 50 anos de movimento LGBT, celebramos a 10ª edição da Parada em Araraquara”, defendeu a assessora de Políticas LGBTQIA+, Filipa Brunelli. “Desde 2017, quando resgatamos e trouxemos às ruas novamente a Parada, ela vem sendo construída de forma democrática, participativa e acima de tudo com o cuidado em restaurar a militância e a real intenção das Paradas”, lembrando do direito à igualdade e do fim do preconceito.

O grupo de artistas da cidade e também de convidados contagiou com performances e apresentações diversificadas: Bruno Caldeira, Bruny Derotzi, DJ Beats, Ellyn Top, Higor Richard, Lara Mullers, Leona Vine, Lunna Dee, Maick, Málaga Valencia, Novamalibu, Peppy Typper, Pink Fairy, Raissa Assunção, Sarah Trajanovic, Travasystem, Ulisses Philippelli, Will Tome e Wilton Vital.

A cantora Lia Clark foi a grande atração da festa. Considerada uma das maiores representantes da cena musical LGBTQIA+, Lia trouxe sua mistura de funk e pop, com muito bom humor e conquistou o público.

A comissão organizadora da Parada 2019 esteve composta por: Coletivo +Plural, Coletiva Be, organização do Miss Gay e Miss Trans, Programa IST/Aids, Conselho Municipal LGBT (COMLGBT), Coletivo Cadê Tereza, Bloco Unidxs do Vale, Bloco Diversidade Folia, TR4V4D4, Coletivo Corpo Fechado, Gaspa e Prefeitura Municipal de Araraquara, por meio da Assessoria Especial de Políticas LGBT, Centro de Referência e Resistência LGBTQIA+, Secretaria Municipal de Planejamento e Participação Popular, Secretaria Municipal da Cultura e Fundart, Secretaria Municipal de Comunicação, Secretaria Municipal de Saúde, Secretária Municipal de Obras. Também, participaram os parceiros: Málaga Valencia, DJ Nova Malibu, Loja Menines, Programa Tricotando, Festa Ai que Loucura by Raissa Assunção e Boate Paradiso.