Edinho defende a Economia Solidária como ‘porta de saída’ para o desemprego

50

O prefeito Edinho participou nesta segunda-feira (18) da abertura do curso de formação em Economia Solidária para cerca de 50 gestores e servidores municipais de diversas secretarias. As aulas terminam nesta terça (19), na sede da Secretaria Municipal da Educação, na Vila Xavier.

O curso tem objetivo de aperfeiçoar as metodologias de gestão pública e fortalecer as políticas públicas de Economia Solidária no município. As aulas são ministradas por Sandra Inês Faé, que representa a Rede de Gestores de Políticas Públicas de Economia Solidária.

Vice-presidente de Economia Criativa e Solidária da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Edinho defendeu esse modelo de desenvolvimento como uma saída para a atual crise que atinge os empregos.

“A Economia Solidária é estruturante e pode estabelecer uma nova forma de organização da produção de riqueza, geração de trabalho e renda. Os programas sociais são um auxílio em momento de dificuldade, mas a ‘porta de saída’ é o emprego formal, quando ele existe, ou o cooperativismo, com a união das pessoas para a geração de trabalho e renda”, disse o prefeito.

Edinho citou exemplos como o da Cooperativa Acácia, da Padoka do Assentamento Monte Alegre e de outras cooperativas de jardinagem, de construção, de alimentação e de confecção. “Além de uma resposta ao desemprego, é o despertar de uma nova consciência”, concluiu.

O vice-prefeito e secretário do Trabalho e do Desenvolvimento Econômico, Damiano Neto, afirmou que a formação dos servidores é muito importante. “Parabéns a todos vocês por estarem aqui e que vocês tirem muito proveito”, disse Damiano.

Estratégias
Para a coordenadora do Trabalho e de Economia Criativa e Solidária, Camila Capacle, são três principais objetivos no curso. “Formar servidores para entender o que é a Economia Criativa e Solidária, transformá-la em política pública intersetorial e transversal, além de ter estratégias de desenvolvimento local para atuar no nosso dia a dia”, explicou.

A responsável pelo curso, Sandra Faé, parabenizou a Prefeitura pela iniciativa. “Não é qualquer cidade que tem uma decisão política do prefeito para uma ação dessas. Não é todo mundo que defende essa estratégia”, relatou a especialista.