Diretores de creches da região norte buscam melhorias para as unidades

53

Diante do crescimento populacional da zona norte da cidade, as creches públicas têm enfrentado desafios para atender, com qualidade, a demanda crescente por vaga. Situação que, na opinião do vereador Paulo Landim (PT), deve se normalizar com a entrega de três novas creches no Valle Verde e no Laura Molina, prevista para 2020. Na quarta-feira (13), o parlamentar se reuniu com diretores de três unidades escolares, no Centro de Educação e Recreação (CER) “Prefeito Rubens Cruz I”, para estudarem propostas de melhorias.

Sem equipe fixa de apoio administrativo e poucos funcionários na função operacional, os diretores se desdobram em funções que vão desde a administração do cotidiano escolar a reuniões de pais, incluindo até mesmo a execução de reparos básicos. “Já precisei parar de trabalhar para trocar uma torneira”, lamentou Júlio César Ribeiro, responsável pelo CER “Rubens Cruz II”. Segundo ele, até julho deste ano, a unidade contava com o trabalho de um reeducando por meio de um convênio firmado entre a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) e a Prefeitura Municipal, que não foi renovado.

A ideia do vereador é ampliar o programa municipal “Jovem Cidadão”, que oferece vagas de estágio supervisionado e remunerado para estudantes acima de 16 anos na administração direta, indireta e em órgãos públicos conveniados com a Prefeitura. “Mais de 400 jovens já passaram pelo programa, que tem sido um sucesso. Vou propor ao Executivo que a proposta se estenda a todas as escolas da rede municipal, envolvendo as pessoas da própria comunidade. Assim, todos ganham”, afirmou Landim.

Também participaram da reunião as diretoras Elisandra Regina Sampaio, do CER “Prof. Dr. José Alfredo Amaral Gurgel”, e Fabiana Teixeira, do CER “Rubens Cruz I”.

 

Reforma Rede Hidráulica

O Centro de Atenção Integral à Criança (Caic) “Rubens Cruz”, no Selmi Dei, abrange uma Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) e dois CERs, totalizando cerca de 1,5 mil alunos. Todo o complexo é abastecido por duas caixas d’água cuja ligação se dá apenas por um registro. “Para qualquer manutenção que precisa ser feita, as três unidades ficam desabastecidas”, apontou Fabiana Teixeira.

Segundo ela, o material para refazer e individualizar a instalação hidráulica já foi comprado, falta apenas a mão de obra. O vereador Paulo Landim se comprometeu a levar a reivindicação à Secretaria Municipal de Obras em busca de uma solução para o problema.