Aneel define bandeira amarela nas contas de energia de julho

42
Linhas de transmissão de energia, energia elétrica

A bandeira tarif√°ria utilizada como refer√™ncia nas contas de luz do m√™s de julho ser√° a amarela. O an√ļncio foi feito hoje (28) em comunicado pela Ag√™ncia Nacional de Energia El√©trica (Aneel). Com a medida, as cobran√ßas ter√£o um acr√©scimo de R$ 1,50 para cada 100 quilowatts-hora consumidos.

O adicional retorna √†s contas ap√≥s a autoridade reguladora ter definido¬†bandeira verde em junho, situa√ß√£o em que n√£o √© cobrado acr√©scimo nas contas. No comunicado, a Aneel justificou a bandeira amarela pelo fato de julho ser um m√™s ‚Äút√≠pico da seca nas principais bacias hidrogr√°ficas do pa√≠s‚ÄĚ.

‚ÄúA previs√£o hidrol√≥gica para o m√™s sinaliza vaz√Ķes abaixo da m√©dia hist√≥rica e tend√™ncia de redu√ß√£o dos n√≠veis dos principais reservat√≥rios. Esse cen√°rio requer o aumento da gera√ß√£o termel√©trica, o que influenciou o aumento do pre√ßo da energia (PLD) e dos custos relacionados ao risco hidrol√≥gico (GSF) em patamares condizentes com o da Bandeira Amarela‚ÄĚ, justificou a ag√™ncia.

O sistema de bandeiras tarif√°rias foi criado, de acordo com a Aneel, para sinalizar aos consumidores os custos reais da gera√ß√£o de energia el√©trica. O funcionamento das bandeiras tarif√°rias tem tr√™s cores, a verde, a amarela e a vermelha (nos patamares 1 e 2), que indicam se a energia custar√° mais ou menos em fun√ß√£o das condi√ß√Ķes de gera√ß√£o.

O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico e o preço da energia. Os recursos pagos pelos consumidores vão para uma conta específica e depois são repassados às distribuidoras de energia para compensar o custo extra da produção de energia em períodos de seca.

No dia 21 de maio, a Aneel aprovou um reajuste no valor das bandeiras tarifárias. Com os novos valores, caso haja o acionamento da bandeira amarela, o acréscimo cobrado na conta passou de R$ 1 para R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos. Já a bandeira vermelha patamar 1 passou de R$ 3 para R$ 4 a cada 100 kWh e no patamar 2, passou de R$ 5 para R$ 6 por 100 kWh consumidos. A bandeira verde não tem cobrança extra. (Agência Brasil)