Queda na exportação da citricultura gera grande redução da balança comercial

2
ARARAQUARA, SP, BRASIL, 29-07-2012: Operários trabalham na linha de produção da indústria de suco de laranja Cutrale, em Araraquara (SP). (Foto: Edson Silva/Folhapress)

A balança comercial de Araraquara encerrou o mês de janeiro com superávit de US$15,7 milhões. Segundo dados da Secretaria do Comércio Exterior e o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (SECEX/MIDIC), as exportações somaram US$19,1 milhões, e as importações, US$3,4 milhões. Apesar do saldo positivo, este foi o pior resultado para o mês de janeiro desde 1997, quando teve início a série histórica de medições. Na comparação com janeiro de 2018, a redução chegou a 84,7%.

A queda nas vendas dos sumos de frutas, principal produto da pauta exportadora do município, afetou  notavelmente o resultado de janeiro. A Holanda, principal consumidor do gênero, reduziu sua compra de 35,3 toneladas, em janeiro de 2018, para 10,1 toneladas, em janeiro de 2019, uma contração de 71,6% na quantidade demandada. Na sucessão de maiores compradores, Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul, que em  janeiro de 2018 haviam adquirido juntos 48,5 toneladas do produto araraquarense, não negociaram o item em janeiro de 2019.

Para os óleos essenciais e as matérias e desperdícios vegetais, que habitualmente completam o ranking dos três itens mais exportados pelo município, janeiro também foi um mês de queda expressiva nas negociações. O faturamento com as vendas dos óleos caiu 86,4% em relação a janeiro de 2019, enquanto que para as matérias e desperdícios vegetais o recuo foi de 75,4%.

Pela ótica das importações, o mês de janeiro apresentou redução média de 54,01% em relação ao mesmo período do ano anterior. Na comparação com janeiro de 2018 as categorias que apresentaram as maiores variações foram as partes de veículos para vias férreas, com um volume de importação 83% menor e os filés de peixes, que reduziram 81% na comparação dos períodos.

Por outro lado, verifica-se pelo segundo mês consecutivo um grande aumento na importação de queijos e requeijão argentinos, sendo essa a categoria mais importada durante o primeiro mês de 2019, correspondendo a 12% da pauta importadora no período. Em segundo lugar, figuraram os adubos e fertilizantes minerais e químicos, provenientes da Bolívia. Essa categoria passou a ser importada apenas a partir de novembro de 2018 e já representa 11% do total das importações em Araraquara.