Projeto fará doação de mil livros a famílias em vulnerabilidade social

‘Palavras Que Voam’, iniciativa de duas moradoras de Araraquara com apoio da Prefeitura, incluirá livros nas cestas de alimentos distribuídas em meio à pandemia da Covid-19

28

O projeto “Palavras Que Voam”, idealizado por duas moradoras de Araraquara e com o apoio da Prefeitura, irá distribuir cerca de mil livros a famílias em situação de vulnerabilidade social atendidas pela Rede de Solidariedade em meio à pandemia da Covid-19. Esses livros serão anexados às cestas de alimentos a serem entregues a partir de segunda-feira (22).

São livros de todos os gêneros, inclusive para crianças. A iniciativa surgiu por ideia da empresária e designer de moda Naly Cabral, que é voluntária da entidade Oficina das Meninas, e da cientista social, professora de ioga e corredora Maira Lopes.

Na quinta-feira (18), elas foram recebidas na Biblioteca Municipal Mário de Andrade pela secretária de Cultura, Teresa Telarolli, pelo gerente de projetos Alcindo Sabino e pela gestora da biblioteca, Melba Ilho Souza.

A princípio, o objetivo das idealizadoras do “Palavras Que Voam” era arrecadar e entregar os livros para as cerca de 80 meninas atendidas pela Oficina das Meninas. Mas a campanha de doação pelas redes sociais superou as expectativas.

Então, veio a proposta de procurar a Prefeitura para ajudar na distribuição dos livros à população em geral, tomando como inspiração a capital do Uruguai, Montevidéu, que também incluiu os exemplares nas cestas básicas entregues durante a pandemia.

De todos os livros que serão distribuídos, cerca de 300 foram arrecadados pelas voluntárias, enquanto o restante será doado pela Biblioteca Municipal Mário de Andrade — são exemplares que tinham mais de uma cópia ou que estavam em desuso devido ao estado de conservação.

“É um começo. Isso pode inspirar as pessoas a se tornarem leitoras. Teve o caso de uma menina que recebeu a gente e disse que queria montar uma biblioteca”, revelou Naly — os exemplares das alunas da Oficina das Meninas já começaram a ser entregues pelas voluntárias.

“O livro não tem que ficar parado. É para ser lido, manuseado. Nós temos que dar acesso aos livros. Para muitas pessoas, pode ser o primeiro livro que terão dentro de casa”, afirmou Maira.

Literatura
Para a secretária de Cultura, o projeto tem o potencial de atingir milhares de pessoas em Araraquara. “A leitura tem canal direto com a liberdade, é um direito de sonhar. São pessoas que, talvez, jamais teriam contato com um livro. E elas podem ler e emprestar para algum familiar ou conhecido”, salientou Teresa, que agradeceu às voluntárias pela iniciativa.

Alcindo Sabino também enalteceu o projeto. “Elas fizeram a campanha de doação dos livros e, como conseguiram arrecadar bastante, quiseram fazer essa ação junto com a Prefeitura para ampliar o projeto”, explicou.

Segundo Alcindo, o Município irá organizar um drive-thru para que moradores de Araraquara doem livros para serem distribuídos às famílias em vulnerabilidade social. A iniciativa será no dia 27, um sábado, das 9h às 13h, em frente à Biblioteca Municipal — na Avenida Espanha, entre as ruas Carlos Gomes (6) e Itália (7).