Número de mortos do coronavírus sobe para, pelo menos, 560

Número de mortes registadas nas últimas 24 horas, na província de Hubei, é de 70, elevando o balanço em território continental chinês para 560.

160

As autoridades de Saúde regionais chinesas informaram nesta quarta-feira mais 70 mortes na província de Hubei, em resultado da infecção do novo coronavírus, elevando o número total de vítimas mortais na província para 549 e em território chinês para, pelo menos, 560.

Este número – 560 – poderá ser revisto nas próximas horas, uma vez que são apenas contabilizadas as novas mortes na província de Hubei, cuja capital é Wuhan, epicentro do novo coronavírus (2019-nCoV).

De acordo com o mais recente relatório da Comissão de Saúde de Hubei, desde as 00h00 da manhã até às 24h00 desta quarta-feira (horas locais) foram registrados mais 2987 novos casos de infecção e mais 70 mortes (52 apenas na cidade de Wuhan). Na mesma região, contam-se 14,314 hospitalizados.

Estes novos dados aumentam o número de pessoas infectadas para 27.600, ressalvando-se, porém, que este balanço carece da atualização de casos confirmados fora da província de Hubei.

O número de mortes do novo coronavírus aproxima-se rapidamente do número de mortes em resultado da pandemia da pneumonia atípica, ou síndrome respiratória aguda grave (SARS), que causou 774 mortes em todo o mundo entre 2002 e 2003.

O surto de pneumonia atípica, considerada “a primeira pandemia do século XXI”, foi identificado em novembro de 2002 na província de Guangdong, mas a China só notificou a OMS em fevereiro de 2003. Por essa razão, a maior parte das mortes ocorreram fora da China (425). O número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus ultrapassou há muito o número de pessoas infectadas pela pneumonia atípica (8 mil pessoas).

O último balanço das autoridades chinesas colocava o número global de mortes em 490 e dava conta de mais de 24.300 infectados em todo o mundo, em resultado do surto viral, semelhante à pneumonia atípica, que foi detectado em dezembro passado.

A primeira pessoa a morrer por causa do novo coronavírus fora da China foi um cidadão chinês nas Filipinas. Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há outros casos de infecção confirmados em mais de 20 países, o último novo caso identificado na Bélgica.

No final de janeiro, a OMS elevou a epidemia à categoria de “emergência de saúde pública de interesse internacional”.