Matheus Santos quer um debate de ideias que recrie um novo ciclo de desenvolvimento

‚ÄúO Legislativo municipal ao longo da hist√≥ria se apequenou e vive a reboque dos prefeitos. N√£o tem autonomia para pensar, falar e n√£o contribui com as discuss√Ķes para pensar as solu√ß√Ķes‚ÄĚ

160

José Augusto Chrispim

Foi dada a largada para a disputa eleitoral de 2020. Desde o √ļltimo domingo (27) at√© o final da campanha eleitoral s√£o 45 dias para que os candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador possam mostrar seus projetos ao eleitorado araraquarense. Como vem fazendo todas as semanas, o jornal O Imparcial conversou com mais um candidato a uma das 18 cadeiras da C√Ęmara Municipal de Araraquara.

O entrevistado desta edi√ß√£o √© o mestre em Ci√™ncias Sociais e pesquisador, Matheus Henrique de Souza Santos, 30 anos, que faz Doutorado em ‚ÄėInova√ß√£o no governo‚Äô pela Unicamp. O candidato faz parte da dire√ß√£o estadual do Partido Democr√°tico Trabalhista (PDT) e, na dire√ß√£o municipal, coordena a Funda√ß√£o, respons√°vel por criar os programas e projetos do partido em di√°logo com a sociedade.

Matheus, que é morador do Jardim Roberto Selmi Dei, concorre a uma vaga no Legislativo araraquarense pela primeira vez. O candidato falou à reportagem sobre suas expectativas e projetos que pretende colocar em prática, caso seja eleito vereador.

Veja a entrevista na íntegra:

O Imparcial: Qual √© a sua expectativa para essas elei√ß√Ķes, em¬†Araraquara?

Matheus: ‚ÄúVivemos, desde 2014, uma profunda crise econ√īmica no Brasil e que, infelizmente, foi agravada pelo surgimento do novo coronav√≠rus ‚Ästdeixo aqui meu respeito e solidariedade aos mais de 140 mil mortos,¬†seus amigos e familiares. Dessa forma, minha expectativa para o¬†processo eleitoral em Araraquara √©, em primeiro lugar, que a cidade¬†possa debater ideias que recriem um novo ciclo de desenvolvimento¬†econ√īmico e humano. Sem ficar perdendo tempo em apontar o dedo¬†para o passado, mas apenas preocupado com o futuro, com o que ser√°¬†de n√≥s, dos nossos filhos e netos. Eu digo sempre que n√£o tenho¬†compromisso com o erro de ningu√©m, apenas com os acertos, e que¬†a pol√≠tica precisa ser capaz de trazer toda a intelig√™ncia do povo¬†araraquarense. Intelig√™ncia do setor privado, dos servidores p√ļblicos,¬†da universidade, dos jovens, mas tamb√©m de quem j√° viveu muito e¬†pode contribuir, ou seja, de todos. Sem revanchismo ou preconceito,¬†mas com muita humildade e coragem para pensar em solu√ß√Ķes¬†inovadoras e enfrentar problemas estruturais que est√£o a√≠ h√° anos.¬†Acredito que as pessoas est√£o mais maduras e conscientes do que¬†estamos vivendo e podem produzir um fen√īmeno nesta elei√ß√£o de¬†mostrar aos partidos pol√≠ticos, aos pol√≠ticos e a todos n√≥s que a pauta¬†de reconstru√ß√£o da cidade e solu√ß√£o dos problemas √© a √ļnica que¬†interessa‚ÄĚ.

O Imparcial: Qual é a sua principal motivação para se candidatar a uma vaga no Legislativo?

Matheus: ‚ÄúO Legislativo municipal ao longo da hist√≥ria, infelizmente, se¬†apequenou e vive a reboque dos prefeitos. N√£o tem autonomia para¬†pensar, falar e fazer, n√£o conseguindo contribuir com as discuss√Ķes¬†para pensar as solu√ß√Ķes. Temos que fiscalizar as a√ß√Ķes do prefeito? √Ȭ†claro que sim, sou formado em Administra√ß√£o P√ļblica e sei fazer. Mas¬†isso √© muito pouco. Os vereadores devem utilizar todos os seus recursos para contribuir nesse processo de achar as solu√ß√Ķes para os problemas, n√£o de forma paliativa, pedindo recurso para tapar buraco. Isso √© important√≠ssimo, mas o que podemos propor para termos menos buraco? Como podemos pensar mecanismos e instrumentos para aumentar a arrecada√ß√£o da Prefeitura para que possamos investir mais sem onerar o empres√°rio local? Apresentei ao PDT algumas ideias, tais como as Empresas Simples de Cr√©dito, a discuss√£o de um Banco Municipal de Desenvolvimento e estrat√©gias espec√≠ficas para se pensar, por exemplo, o desenvolvimento da economia local, fortalecendo nossos empres√°rios, em vez dos de fora, lembrando dos com√©rcios nos bairros que tanto empregam. Tudo isso ao mesmo tempo em que experimentamos novos setores econ√īmicos, como da Economia Criativa, do Conhecimento e do Esporte. Estou desde 2010 na universidade, tendo o privil√©gio de conhecer as coisas maravilhosas que est√£o sendo pesquisadas aqui no Brasil e no mundo, quero trazer isso para Araraquara. Essa possibilidade de trazer todo esse conhecimento, essas novidades e transformar a C√Ęmara em um ambiente onde discutimos de tudo √© o que mais me motiva‚ÄĚ.

O Imparcial: Qual é o seu principal projeto, caso se eleja vereador? E quais bandeiras você defende?

Matheus: ‚ÄúGra√ßas a Deus eu tenho um coletivo de pessoas diferentes que est√£o me ajudando, desde professores a aut√īnomos, de empres√°rios a¬†pesquisadores, artistas a servidores. Com isso, constru√≠mos o nosso¬†Plano de Trabalho Legislativo. Por eu ser professor tenho esse h√°bito¬†de planejar tudo o que eu vou fazer para melhor utilizar o tempo e os¬†recursos. Nesse Plano colocamos 12 eixos de trabalho, todos com¬†propostas. Dentre elas posso destacar o Aplicativo Voc√™-Vereador,¬†que vai consultar as pessoas sobre as a√ß√Ķes do mandato e facilitar no¬†pedido de reparos em zeladoria, mas tamb√©m discutir o Plano Diretor¬†de cada bairro, junto com moradores e empres√°rios; o F√≥rum Permanente dos Servidores P√ļblicos para pensarmos solu√ß√Ķes junto com os servidores; discuss√£o ampla sobre a quest√£o das queimadas; Colocar toda a estrutura de TV da C√Ęmara √† disposi√ß√£o de projetos sociais; Ficar de olho no DAAE, j√° que n√£o podemos aceitar em sil√™ncio tudo o que est√° sendo feito nos √ļltimos anos; cobrar do prefeito um gabinete de crise para ajudar os empres√°rios na retomada econ√īmica, dentre muitas outras propostas j√° elaboradas. Acessem a p√°gina no Facebook @profmatheussantos e conhe√ßa todo o nosso Plano de Trabalho. Tem muita coisa que pode ser feita com¬†dedica√ß√£o, intelig√™ncia e muito trabalho‚ÄĚ.

O Imparcial: Voc√™ acredita que aconte√ßa uma grande renova√ß√£o na¬†C√Ęmara Municipal nestas elei√ß√Ķes? Ou acha que os grandes¬†partidos devem manter a maioria das cadeiras, devido ao final¬†das coliga√ß√Ķes proporcionais?

Matheus: ‚ÄúAcredito que a cidade de Araraquara vai, olhando nos olhos dos¬†vereadores, agradecer a contribui√ß√£o de cada um, mas que o momento exige uma renova√ß√£o. √Č inadmiss√≠vel pensar que tem vereador com quase 30 anos de casa; s√£o os mesmos anos que eu tenho de vida. Como eu disse, n√£o h√° espa√ßo para revanchismo, ou seja, n√£o √© para atacar nenhum ¬†pol√≠tico, cada um deu sua contribui√ß√£o, mas √© not√≥rio que a maioria n√£o tem mais o que entregar √† cidade de Araraquara. O Edinho e o Barbieri, que juntos governam a cidade h√° quase 20 anos, cometeram v√°rios erros ‚Äď na minha disserta√ß√£o do Mestrado sobre o Plano Diretor eu aponto um¬†erro em comum dos dois – e mesmo assim passaram intoc√°veis na C√Ęmara Municipal, com rar√≠ssimas exce√ß√Ķes. Agora, como construir um novo ciclo para Araraquara? √Č elegendo novas lideran√ßas pol√≠ticas, √© o cidad√£o e a cidad√£, com seu senso cr√≠tico, dizer obrigado a quem esteve at√© aqui, mas o momento requer pensar o futuro de todos n√≥s, e n√£o ficarmos presos √†s velhas disputas. E os partidos com mais vereadores v√£o lutar para manter o controle da cidade, caber√° ao povo dizer n√£o‚ÄĚ.

O Imparcial: Em sua opinião, quais são os principais desafios para a próxima legislatura na pós-pandemia?

Matheus: ‚ÄúTrabalho, renda e aumentar os investimentos p√ļblico e privado. Os empres√°rios est√£o no limite, s√≥ vejo lojas fechando e n√£o h√° um s√≥¬†dia dedicado pelos pol√≠ticos para debater a reconstru√ß√£o econ√īmica. Nenhum. Ficam apenas tratando de quest√Ķes para tentar se reeleger¬†e esqueceram que precisamos ter uma Araraquara depois disso tudo.¬†O que os vereadores, os cargos indicados na Prefeitura e o prefeito¬†est√£o discutindo para a retomada econ√īmica, para defender os¬†empregos e garantir os pagamentos da despesa p√ļblica? Eu n√£o vejo¬†nada, infelizmente, al√©m de uma tentativa de apagar ‚Äúinc√™ndios‚ÄĚ, ealguns que est√£o mais preocupados com suas candidaturas. Esse √© o¬†principal desafio da pol√≠tica e para fazer isso √© preciso muita humildade em dialogar com os diferentes, trazer quem est√° conseguindo propor solu√ß√Ķes e construir um ambiente em Araraquara n√£o de confronto, nem de guerra, e sim de coopera√ß√£o. O investimento p√ļblico est√° abaixo da necessidade, precisamos aumentar e isso ser√° feito apenas pelo fomento econ√īmico e¬†articula√ß√£o para fora da cidade. Do contr√°rio, como vamos garantir o¬†sal√°rio dos servidores? Como vamos garantir linhas de cr√©dito? Como¬†iremos construir e manter escolas? Como algu√©m decidir√° investir seu¬†dinheiro abrindo uma loja de roupas, uma padaria?‚ÄĚ.

O Imparcial: No contexto nacional, voc√™ acha que a onda ‚Äėbolsonarista‚Äô¬†ter√° efeito sobre as elei√ß√Ķes municipais? Ou acredita que os partidos de centro e de esquerda ganhar√£o espa√ßo entre os eleitores insatisfeitos com o governo federal?

Matheus: ‚ÄúO presidente Jair Bolsonaro √© resultado de uma tempestade perfeita; essa foi sempre minha opini√£o. √Č o esgotamento do projeto petista, a fragilidade dos outros dois grandes partidos o PMDB e o PSDB, ao¬†mesmo tempo sob o per√≠odo da Opera√ß√£o Lava Jato, que escancarou¬†o submundo da nossa Rep√ļblica e consolidou, infelizmente, a judicializa√ß√£o da pol√≠tica. Tudo isso em um contexto de crise econ√īmica anterior √† elei√ß√£o de 2018. N√£o votei em Bolsonaro e n√£o tenho qualquer alinhamento a seu governo ou propostas, mas n√£o adianta ficar xingando seus eleitores de fascistas e outros adjetivos pejorativos. As pessoas, certas ou n√£o, n√£o cabe a mim julgar, foram levadas a eleg√™-lo num contexto espec√≠fico, que dialoga apenas com as quest√Ķes nacionais, que eu citei anteriormente. Nos munic√≠pios a conversa √© outra, a realidade √© bem mais complexa e o voto tem mais caracter√≠sticas. Bolsonaro t√° percebendo isso, quando n√£o consegue emplacar grandes nomes nas principais cidades.¬†O que eu tenho defendido, n√£o √© de hoje, √© que os partidos e as for√ßas pol√≠ticas precisam apresentar um projeto de desenvolvimento tanto para o Brasil, quanto para as cidades. Que tenha a coragem de enfrentar os problemas estruturais como o ganho exorbitante do setor financeiro, do transporte p√ļblico, do emprego, da seguran√ßa p√ļblica, da ocupa√ß√£o urbana, do Estado e tantos outros. √Č esse projeto que vai estabelecer o di√°logo para formar alian√ßas. Eu n√£o posso ser o dono da verdade, eu coloco na mesa minhas propostas objetivas e apresento aos demais, e no di√°logo vamos construindo aproxima√ß√Ķes ou distanciamentos. O empres√°rio, o servidor p√ļblico, o trabalhador e a trabalhadora est√£o preocupados em como a Pol√≠tica vai atuar para solucionar os seus problemas. √Č essa minha postura‚ÄĚ.

O Imparcial: Você acredita na força da dobradinha Nino Mengatti (PSB) /Pedro Baptistini (PDT) para evitar a reeleição de Edinho Silva?

Matheus: ‚ÄúO PDT, o PSB, o PV e a REDE est√£o, em v√°rias capitais e cidades de import√Ęncia, reproduzindo uma proposta, respeitando as peculiaridades locais. Essa proposta do projeto de desenvolvimento¬†com di√°logo. E, em Araraquara, conseguimos esse feito, que n√£o √© f√°cil. Araraquara √© uma cidade dividida entre pouqu√≠ssimos l√≠deres pol√≠ticos que n√£o querem o surgimento de coisas novas. E falo isso com tranquilidade, sabe porqu√™? Foi assim nos anos 60, 70, 80 e 90. Cada √©poca conta com seus pol√≠ticos que querem controlar tudo. O que o povo tem que fazer √© dizer: obrigado, mas basta. Temos na cidade de Araraquara v√°rias candidaturas que representam coisas diferentes e a nossa, com a dobradinha Nino/Pedro, quer usar o tempo eleitoral para dizer: Olha, podemos sim fazer mais e melhor. Olhando com respeito a contribui√ß√£o de cada lideran√ßa pol√≠tica na sua hist√≥ria e n√£o tendo compromisso com os erros de ningu√©m, mas se propondo a enfrentar os problemas. Eu acredito e muito na capacidade de trabalho da nossa dobradinha, mas tamb√©m de toda a coliga√ß√£o. No entanto, a decis√£o √© √ļnica e exclusiva do povo de Araraquara e n√≥s devemos apenas compreender e respeitar. Eu, sendo eleito, serei o vereador que vai defender o interesse dos araraquarenses, n√£o importando quem sente na cadeira de prefeito‚ÄĚ.

O Imparcial: Voc√™ prega uma candidatura coletiva. Caso seja eleito,¬†como pretende levar esse conceito para a C√Ęmara Municipal?

Matheus: ‚ÄúN√£o h√° outra forma de se fazer pol√≠tica se n√£o a coletiva. √Č isso¬†que venho dizendo desde quando aceitei o convite para ser candidato a vereador. Se for para fazer o que s√≥ eu acho, eu fico trancafiado na¬†universidade e dando minhas aulas. Eu sou uma pessoa pautada pelo di√°logo, tenho constru√≠do, na nossa candidatura, amplo di√°logo com¬†os mais diferentes araraquarenses, justamente para que possamos, juntos, resolver os problemas ou pelo menos apresentar alternativas. A pol√≠tica n√£o pode se tratar de uma pessoa ou partido, ela precisa trazer os anseios populares e coletivos. A esmagadora maioria das pessoas n√£o √© filiada aos partidos, querem saber como os pol√≠ticos v√£o propor solu√ß√Ķes. E o Legislativo √© o espa√ßo perfeito para isso, pois n√£o est√° tomado pela correria do dia a dia da Prefeitura e nem das brigas do Judici√°rio. A C√Ęmara Municipal tem todos os recursos para construir um mandato coletivo, onde o vereador trabalha ombro a ombro com a popula√ß√£o. No mandato, para concretizar a ideia de coletividade, apresentamos dois caminhos. O primeiro √© a postura do pol√≠tico, ou seja, ele precisa ser algu√©m pronto para o di√°logo, principalmente para ouvir aqueles que pensam diferente dele ou est√£o distantes dos lugares de decis√£o. E minha hist√≥ria √© marcada por essa postura, eu sempre dialoguei com todos, sempre constru√≠ pontes. O segundo caminho √© usar a tecnologia a nosso favor, por isso estamos propondo o Aplicativo Voc√™-Vereador, um recurso j√° utilizado fora do Brasil. Tudo poss√≠vel de ser feito. Com o Aplicativo as pessoas ir√£o dialogar comigo, tomaremos decis√Ķes em conjunto e v√£o propor a√ß√Ķes, sem que precise ficar aguardando a agenda do vereador ou se sujeite √† pr√°tica¬†do toma l√° d√° c√°‚ÄĚ.

O Imparcial: Dê uma mensagem aos eleitores e diga por que merece o voto do araraquarense.

Matheus: ‚ÄúVivemos tempos antes n√£o vistos. O momento requer de todos n√≥s coragem, humildade e intelig√™ncia para podermos reconstruir nosso¬†caminho. Coragem para enfrentar os problemas, humildade para dialogar com todos que possam ajudar e intelig√™ncia para construirmos solu√ß√Ķes inovadoras. Araraquara √© uma cidade cheia de pessoas capazes e que trabalham muito, eu sou uma delas. Amo essa cidade, aqui constitu√≠ fam√≠lia, aqui crio os meus filhos e √© aqui que quero colocar √† disposi√ß√£o tudo o que constru√≠ profissionalmente. Nasci aqui e cresci na rua 07 do¬†Jardim Roberto Selmi Dei e sei dos desafios, dos descasos e dos¬†problemas. Vou trabalhar e muito para construirmos as solu√ß√Ķes para¬†agora, olhando para o nosso futuro. Conte comigo, que eu conto com¬†voc√™‚ÄĚ, finalizou o candidato.