Jean Carlos: Moda, beleza e respeito no Instagram

134

Ariane Padovani

 

O Digital Influencer e Produtor de Moda Jean Carlos Baptista, de 27 anos, est√° voltando para Araraquara ap√≥s tr√™s anos morando em S√£o Paulo. Formado em Propaganda e Marketing e p√≥s-graduado em Produ√ß√£o de Moda Criativa, o influenciador est√° prestes a atingir a marca de 12 mil seguidores no Instagram, um n√ļmero que ele espera que cres√ßa ainda mais daqui para frente com a ajuda de seu time de influenciadores.

‚ÄúEu trabalho desde os 14 anos, comecei com est√°gio em uma escola de inform√°tica, que foi onde aprendi tudo, de vendas √† parte administrativa, e foi l√° que descobri minha vontade de fazer propaganda e marketing, porque eu gostava bastante do marketing, da parte visual. O curso de moda ainda n√£o me encantava, porque eu n√£o tinha essa vontade de desenhar, eu tinha vontade de pegar a pe√ßa pronta e criar um desfile para a pessoa, com jogo de luzes e som. Ent√£o decidi fazer marketing primeiro e para pagar a faculdade fui trabalhar no com√©rcio aqui da cidade, depois em uma loja em S√£o Carlos e foi a√≠ que comecei a me apaixonar por moda mesmo. Depois que me formei ganhei uma bolsa de estudos em S√£o Paulo em produ√ß√£o de moda criativa, que √© voltada para editorial de moda. H√° quatro anos sou produtor do Miss Araraquara, fa√ßo a produ√ß√£o dos looks das meninas e dou consultoria‚ÄĚ, contou o influencer.

Jean come√ßou sua carreira na internet escrevendo sobre moda e beleza. ‚ÄúEu tinha um blog, mas a rede social come√ßou a pedir mais e o meu Instagram acabou crescendo. Eu j√° fazia maquiagens e as pessoas perguntavam qual a base que eu tinha usado, quanto custava e onde encontrava. Eu estava l√° em S√£o Paulo gerando esse conte√ļdo e pensei que daria certo come√ßar a gerar para o pessoal de Araraquara. O fluxo de trabalho do meu Instagram ficou t√£o grande que eu precisei voltar para c√°, estou voltando no final do m√™s‚ÄĚ, explicou o influenciador, que tamb√©m d√° consultoria de moda. ‚ÄúN√£o sou estilista, n√£o desenho roupa, eu pego o look pronto e fa√ßo a produ√ß√£o dele. Fa√ßo consultoria tanto online quanto presencial, arrumo o closet da pessoa, que automaticamente acaba se transformando em uma aula, ensino como se vestir e tudo o mais‚ÄĚ, exp√īs.

 

Microinfluenciadores

 

 

Jean acredita que as empresas est√£o come√ßando a dar mais espa√ßo para os microinfluenciadores do interior. ‚ÄúS√£o Paulo √© muito grande, ent√£o para eu conseguir entrar em uma marca l√° √© muito mais dif√≠cil, porque √© onde est√£o os influenciadores maiores. As marcas e as empresas est√£o procurando os microinfluenciadores como n√≥s, porque uma influenciadora grande muita gente vai ver as marcas que ela recebe, mas ser√° que v√£o comprar? Ser√° que Araraquara vai comprar dessa marca? Ela est√° atingindo uma visualiza√ß√£o, mas atingir uma pessoa que compra √© mais dif√≠cil, porque ela √© muito grande, ela divulga muitas pessoas. Uma marca de maquiagem, por exemplo, que vai lan√ßar um p√≥ procura saber onde vende os seus produtos e quem s√£o os influenciadores da cidade, ent√£o o microinfluenciador vai falar que ganhou o p√≥ e vende em tal lugar”, comemorou o produtor de moda. “Talvez o Instagram tenha os dias contados, mas com certeza vai vir outra coisa. A tend√™ncia √© a tecnologia nos beneficiar, mas tamb√©m tem que ter muito cuidado com o que voc√™ fala, porque eu estou chegando aos 12 mil seguidores, ent√£o s√£o muitas pessoas que est√£o ali e se eu falo uma coisa que n√£o √© legal, eu posso influenciar negativamente, tem que tomar muito cuidado. Eu procuro usar marcas que n√£o fazem testes em animais ou que n√£o tem aditivos animais e j√° aconteceu de eu falar que um produto era vegano e ele n√£o era. Eu pedi desculpas”, admitiu.

 

Preconceito

Jean foi o influenciador da parada LGBT da cidade neste ano e diz que se sente representado pela luta que o evento representa. ‚ÄúO preconceito hoje existe de todas as formas. √Č muito dif√≠cil voc√™ conseguir se expor sem gerar cr√≠ticas. Eu j√° tenho uma ponta de frente do preconceito por ser homossexual e, al√©m disso, eu gosto de me maquiar, de me vestir fora do padr√£o, e eu tenho que estar ciente de que algu√©m pode n√£o gostar. Algu√©m fazer uma cr√≠tica de uma maquiagem que n√£o ficou legal √© uma coisa, mas me criticarem s√≥ por eu ser um menino que gosta de me maquiar eu n√£o aceito. J√° tive problemas de lojas de roupas n√£o me aceitarem para algum tipo de evento, porque eu n√£o tenho o estilo que ela vendia, isso de certa forma √© um preconceito. Eu sou a favor de que n√£o existe roupas para homem ou para mulher, √†s vezes eu me sinto bem com uma roupa masculina e √†s vezes com uma roupa que √© voltada para o p√ļblico feminino e tudo bem. Se voc√™ n√£o estiver fazendo mal a ningu√©m est√° tranquilo. Muitas pessoas criticam que a Parada LGBT √© s√≥ uma festa, mas existe toda uma luta, eu me sinto muito representado, porque eu mostro muita coisa no Instagram e pe√ßo o respeito tamb√©m. Isso vai al√©m de ideologia pol√≠tica, religi√£o tamb√©m n√£o me importa, eu prezo pelo respeito. Se voc√™ respeitar o meu espa√ßo, vou respeitar o seu‚ÄĚ, avisou.

 

Parcerias

 

 

Atualmente Jean est√° trabalhando com cerca de 15 parceiros de diversos segmentos em sua conta na rede social. “Eu tenho os dois m√©todos comuns de trabalho, a permuta e o cach√™, hoje eu consigo trabalhar mais com o cach√™, mas eu tenho o foco de trabalhar Araraquara, eu quero ajudar os empreendedores e comerciantes daqui. Por exemplo, uma marca pequena de batom que est√° sendo criada na cidade me deu toda a cole√ß√£o de batom dela, que eu vou utilizar nas minhas maquiagens e assim gerar conte√ļdo para ela, daqui um tempo ela cresce, consegue fazer um evento onde eu posso participar e cobrar. Eu ajudo de um lado, eles me ajudam de outro”, refletiu o influencer.

Al√©m de postar conte√ļdos de moda e beleza, o produtor de moda tamb√©m tem parcerias com psic√≥logas e ajuda ONGs de animais. ‚ÄúEsse m√™s vou fazer um post sobre o novembro azul voltado para os animais. √Č um outro tipo de conte√ļdo que tamb√©m ajuda. Eu j√° fiz acupuntura e quis mostrar como ela ajudou as minhas enxaquecas, ent√£o fechei parceria com uma psic√≥loga e ela explicou o poder da acupuntura e do Reiki. Eu atingi outros p√ļblicos”, disse Jean, que acha importante ponderar ao fechar parcerias. “N√£o √© legal voc√™ ficar aceitando parcerias s√≥ para ter, ganhar produtos √© muito f√°cil. Tem que ser relevante. Se uma livraria entrar em contato comigo e me der um monte de livros, eu n√£o leio, n√£o gero conte√ļdo de livros, ent√£o por que vou aceitar? A gente tem que trabalhar, mas n√£o pode perder a nossa ess√™ncia”, confessou.

 

Time de influenciadores

Jean est√° tocando o projeto ‚ÄėInfluencia Interior‚Äô em parceria com Nat√°lia Lima para formar, como ele gosta de chamar, seu time de influenciadores. ‚ÄúEstamos recebendo inscri√ß√Ķes pelo meu Instagram e pelo do Influencia Interior de pessoas que queiram ser influenciadoras. Toda semana colocamos um influenciador novo no time. J√° levei uma galera para S√£o Paulo, em eventos aqui tamb√©m, fa√ßo parcerias com marcas que queiram dar presentes e contrat√°-los. O meu projeto para 2020 √© aumentar o Influencie Interior e o meu Instagram, continuar trabalhando cada vez mais‚ÄĚ, finalizou o produtor.

 

Instagram do Jean Carlos: @jeancbaptista

Instagram do Influencia Interior: @influenciainterior