Ferroviária joga pelo título do Brasileirão Feminino

64

Texto: Carlos André de Souza
Foto: Tiago Pavini/AFE

 

Chegou o dia do jogo mais importante dos últimos quatro anos para o futebol feminino da Ferroviária. Desde que conquistou a Copa Libertadores Feminina em 2015, a equipe vem se reestruturando e agora terá a oportunidade de conquistar o bicampeonato brasileiro em jogo marcado para este domingo (29), às 14 horas, quando enfrentará o Corinthians pelo jogo de volta da grande final nacional.

No jogo de ida, realizado no último domingo (22) na Fonte Luminosa, as Guerreiras Grenás empataram por 1 a 1 e quebraram uma série de 34 vitórias consecutivas do time paulistano, que por conta dessa marca entrou para o Guinness Book com a maior sequência de triunfos do futebol mundial de todos os tempos. Como nenhuma das equipes possui a vantagem do empate, uma nova igualdade no placar levaria a decisão para os pênaltis, quesito que a Ferroviária se acostumou, já que foi assim que passou das quartas de final sobre o Santos e da semifinal sobre o Kindermann-SC.

A técnica afeana Tatiele Silveira viu com bons olhos o empate no jogo de ida. “O resultado é muito importante pelo momento da competição, porque nós estamos ainda no final e vendo o retrospecto, queríamos melhorar e realmente melhoramos. Nos coloca vivas na grande final, em São Paulo. Sabemos da grandeza do Corinthians, mas acho que conseguimos equilibrar um pouco mais o jogo, nos colocamos de uma maneira mais competitiva e é isso que queremos fazer lá para brigar de igual pra igual pelo título brasileiro”, disse a treinadora.

O jogo deste domingo será o quarto encontro entre as duas equipes nas últimas duas semanas, já que elas também disputaram a semifinal do Campeonato Paulista, onde o Corinthians levou a melhor com duas goleadas: 4 a 0 em Araraquara e 5 a 1 em São Paulo.

 

Campanhas distintas

Ferroviária e Corinthians construíram campanhas distintas ao longo da competição nacional. Na primeira fase, o Corinthians somou 14 vitórias e apenas uma derrota na primeira fase, o que resultou na liderança absoluta com 42 pontos. Já as Guerreiras Grenás terminaram a fase inicial com 23 pontos (seis vitórias, cinco empates e quatro derrotas), na sétima colocação.

No mata-mata de quartas de final, o Corinthians não teve dificuldades para eliminar o São José com uma vitória por 4 a 1 na casa do adversário e um triunfo por 1 a 0 no Parque São Jorge. Já a Ferroviária encarou o segundo melhor time da primeira fase, o Santos, que venceu o jogo de ida em Araraquara por 2 a 1. Na partida de volta, em Santos, as Guerreiras Grenás venceram pelo mesmo placar e levaram a decisão para os pênaltis, onde brilhou a estrela da goleira afeana Luciana, que defendeu duas cobranças e ainda viu outra cobrança acertar a trave.

Na semifinal, o Corinthians voltou a se classificar com duas vitórias, dessa vez sobre o Flamengo: 2 a 1 fora de casa e 2 a 0 em São Paulo. A Ferroviária encarou o terceiro colocado da primeira fase, o Kindermann. Após dois empates por 1 a 1, a vaga voltou a ser decidida nos pênaltis, onde Luciana voltou a brilhar com duas cobranças defendidas, façanha que garantiu a classificação para a final.

A vaga na final também assegurou as duas equipes na Libertadores Feminina de 2020. Os dois times, aliás, já são os dois representantes brasileiros na Libertadores de 2019, que será disputado em outubro no Equador.