Feira do Carmo começa hoje

265

Ariane Padovani

A 103ª edição da tradicional Feira do Carmo começa hoje e 370 mil pessoas são esperadas para os dez dias de evento. A maior feira popular do estado de São Paulo acontece até o dia 15 de julho, sempre das 10h à meia noite, com vendas de vestuário, calçados, brinquedos, artesanato e comidas típicas em mais de 200 stands, além de shows diários.

História
De acordo com Germano Batista, da Gravadora Continental Music, empresa que organiza a feira para a Paróquia Nossa Senhora do Carmo, a feira começou com o objetivo de arrecadar dinheiro para a construção da igreja. “O padre da época construiu uma capela, mas depois ele quis aumentar essa capela, então fizeram a festa para construir a igreja e convidaram as pessoas da região para vir participar. Naquela época, Araraquara não era uma região canavieira e nem de laranjas, eram mais sítios e chácaras de pequenos produtores. Como a nossa região é muito religiosa, o pessoal vinha e trazia os seus produtos, como cocada, doce de leite, linguiça, além de artesanato que eles faziam durante o ano. A festa durava 30 dias, era uma espécie de romaria, por causa da comemoração da santa, que é no dia 16 de julho”, contou Germano.

Os mascates (nome dado às pessoas que vendiam mercadorias nas ruas) traziam de São Paulo produtos que eram novidades na cidade. “Quando fabricaram as calças de brim, foi um lançamento na feira. E o pessoal da região, como Piracicaba e Sorocaba, vinha para comprar as mercadorias dos mascates da capital. Naquela época não existia lojista. O cara pegava uma carroça ou uma charrete e saia vendendo as roupas. E o pessoal de Barretos e Bebedouro vinha para Araraquara, que é o centro do estado, para ver as novidades. Aí se transformou na Feira do Carmo”, explicou Germano.

Geração de emprego
O organizador rebateu ainda uma nota do sindicado do comércio de Araraquara, que dizia que a feira se tornou um evento de negócios espúrios e incompatíveis com a iniciativa privada, e com concorrência direta e injusta com os empresários da cidade. “Hoje, 60% dos expositores são da cidade. 90% da parte de alimentação são da cidade. E todas as empresas que estão aqui tem CNPJ e Inscrição Estadual. Nós não fazemos negócios com camelôs. Já pelas ruas da cidade, segundo levantamento que fizemos, existem mais de 140 lojas de pirataria em casas e barracas de pessoas que estão desempregadas. Aqui nós geramos três mil empregos diretos e indiretos. São 500 pessoas trabalhando só na montagem da feira. Estamos fomentando a economia, pois a feira roda R$ 5 milhões na cidade, pois os 40% que são de fora também trazem dinheiro, 120 mil pessoas que participam são de fora”, expôs Germano.

Expectativas de vendas
Fernando Evangelista, comerciante de São Paulo do ramo de vestuário, está participando da feira novamente depois de 20 anos sem expor aqui e, apesar de a estrutura da festa ter melhorado, o vendedor não está muito otimista com o lucro que terá. “Com essa crise que o país está vivendo não teve nenhuma feira boa na região até agora, mas viemos aqui tentar”, falou Fernando.

Vindo de Icó, no Ceará, Francisco Silvano viaja o Brasil inteiro expondo suas mercadorias e já participou diversas outras vezes da Feira do Carmo, mas não está esperançoso com as vendas. “Todas as festas estão ruins. Estou pensando em ir embora para o Ceará de novo”, lamentou o comerciante.

Já Marcos Rodrigues dos Santos, mais conhecido como Marcão da Cocada, que participa há 37 anos da Feira do Carmo, está animado com o início do evento neste sábado. “Eu sou da época em que era lá em frente à igreja. A Feira do Carmo é uma festa de tradição, sempre dá público, nunca tive ano ruim. O pessoal vem mesmo”, enaltece Marcos, que está empregando 15 pessoas em sua barraca durante a feira. “Todo ano a gente emprega. Eu trabalho na cidade em escolas e clubes, então sempre tem cinco ou seis funcionários trabalhando comigo. E, além de trabalhar em Araraquara, vou participar de uma festa em Jaú”, completou o doceiro.

Programação religiosa da Igreja
Hoje, às 17h, será realizada a missa de abertura dos festejos e a tradicional coroação de Nossa Senhora do Carmo pelas crianças da catequese.
De 7 a 15 de junho, haverá novena em honra a Virgem do Carmo nos seguintes horários: Segunda a sexta-feira, às 19h30; Sábados, às 17h e Domingo, às 19h.
Dia 16 de julho será comemorado o Dia de Nossa Senhora do Carmo. A Paróquia realizará missas às 7h, 10h, 15h, 19h30, seguidas da procissão luminosa. Em todas as missas haverá benção e imposição do Santo Escapulário. Durante todo o dia 16 haverá a venda de bolo festivo da padroeira.
A entrada é franca. A Feira do Carmo é realizada ao lado do Sesc, na Avenida Presidente Vargas, no bairro Quitandinha.

Programação de shows
06 de julho, sábado – Mary Silvestre e Luan Marçal
07 de julho, domingo – Ronaldo César
08 de junho, segunda-feira – Thiago Chagas
09 de julho, terça-feira – Cajuru & Vitor Lima em Tributo a José Rico
10 de julho, quarta-feira – Turma do Samba
11 de julho, quinta-feira – Matheus Carreiro
12 de julho, sexta-feira – Jaime & Fernando
13 de julho, sábado – Zé Lucas e Renan e Ryan Camargo
14 de julho, domingo – Seresteiro do Samba