‘Escola + Bonita’ vai revitalizar mais de 2 mil escolas estaduais com trabalho de presos

32

Marcus Liborio/CRN

O governador João Doria lançou, na quarta-feira (30/1), o projeto “Escola + Bonita”. A parceria entre as Secretarias da Educação, Administração Penitenciária e de Desenvolvimento Econômico prevê a revitalização de 2.100 escolas estaduais de São Paulo até 2020, com o trabalho de reeducandos do regime semiaberto. Na região de Ribeirão Preto, sete unidades de ensino já estão ganhando “cara nova”.

“A pintura será feita em horários que não interrompam a utilização da escola e com todos os cuidados devidos, como tintas que não têm cheiro, para permitir que no dia seguinte professores, gestores, funcionários e alunos também possam frequentar”, afirmou Doria.

Por meio do programa Via Rápida Expresso, serão pintadas 500 escolas. Neste projeto, os reeducandos participantes serão capacitados e pintarão escolas durante os curso profissionalizante, que é dividido em dois módulos: 25/horas de aulas teóricas e 75/horas de práticas.

Outras 1.600 serão recuperadas graças ao trabalho de presos contratados por meio da Fundação “Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel” (Funap), totalizando 2.100 unidades escolares revitalizadas.

Todas outras escolas que apresentarem a necessidade de reparos serão atendidas pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. “A gente sabe que o impacto de estar em uma sala de aula, em uma escola organizada, limpa e bonita, efetivamente, afeta direto no aprendizado. Qualquer um de nós que não esteja em um bom ambiente de trabalho vai produzir menos, por que isso não iria acontecer também com nossos estudantes e professores? E isso é transformador”, destaca o secretário de Educação, Rossieli Soares da Silva.

Programa Via Rápida

O Via Rápida Expresso é uma modalidade do Programa Via Rápida coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico que tem como objetivo oferecer cursos de curta duração, na área da construção civil (pintores), para presos do regime de semiaberto, internos em regime de semiliberdade da Fundação Casa e trabalhadores desempregados.