Edinho se reune com representantes de cooperativas da cidade

Vamos apoiar ainda mais o cooperativismo, disse o prefeito

36
Na noite dessa quarta-feira (28), no Espaço D´Vinni, na Vila Xavier, o prefeito Edinho Silva se reuniu com representantes das cooperativas de Araraquara. Participaram integrantes da Copersol, Cooperativa Acácia, Panelas Unidas, Vitória Multi Serviços, CoperMorada e Sol Nascente. Essas quatro últimas foram formatadas a partir de um projeto implementado por Edinho em 2019: o ‘Cooperativismo como porta para o futuro’.
“Uma enorme satisfação ouvir os relatos emocionantes e saber que todas estão atuando no mercado, gerando trabalho e renda. Hoje, temos cerca de 300 pessoas vivendo do cooperativismo na cidade e vamos ampliar”, disse Edinho.
Vale salientar que a partir do momento da formação dessas cooperativas, conseguiu-se instituir em Araraquara a Incubadora Pública de Economia Criativa e Solidária (INPECS). Essas cooperativas, embora novas, todas elas já estão atuando e gerando renda. Algumas já participaram e venceram licitações, o que é motivo de orgulho para o prefeito.
“Agradeço muito a disposição das lideranças para este importante e necessário diálogo. Falamos sobre nossas propostas. Acredito muito na economia criativa e solidária. Acredito muito no cooperativismo. Por isso, no nosso programa de governo temos propostas concretas para a área. Reuniões como esta me deixam ainda mais entusiasmado para continuarmos cuidando da cidade e das pessoas que mais precisam”, acrescentou o prefeito, que esteve acompanhado do vice-prefeito Damiano Neto, da secretária de Planejamento e Participação Popular, Amanda Vizoná, e da coordenadora executiva de Trabalho e Economia Solidária, Camila Capacle.
Programas de geração de emprego e renda
No atual mandato de Edinho, a inclusão social e produtiva é uma das pautas das Frentes de Cidadania (PIIS – Programa de Incentivo à Inclusão Social), que atendeu 245 pessoas em alta vulnerabilidade social com qualificação profissional e acolhimento no Espaço Kaparaó – Centro de Capacitação Social e Profissional, por meio do SENAC. Atualmente o programa conta com 110 beneficiários ativos. Outro programa de sucesso implantado pelo governo Edinho é o Bolsa Cidadania, que beneficiou 779 pessoas e todas tiveram de passar por cursos de qualificação profissional.
O prefeito promoveu outras ações de combate à vulnerabilidade e ao desemprego como o projeto de apoiadores de combate à dengue (1.270 pessoas convocadas) e apoiadores de combate à Covid-19 (586 convocados), além do Jovem Cidadão (301 atendidos) e o programa de reeducandos (112 beneficiados). A Prefeitura também fornece apoio e assessoria a 22 empreendimentos econômicos solidários, sendo sete associações produtivas, oito cooperativas e sete grupos informais.
Entre os eventos e ações voltados à Economia Criativa estão a Feira Regional de Economia Criativa e Solidária, o Espaço da Economia Solidária na FACIRA e as Feiras dos Territórios. A Prefeitura também é responsável pela organização dos ambulantes do comércio de alimentos em eventos municipais. Além disso, houve recentemente a confecção de 15 mil máscaras feitas por 15 mulheres artesãs de baixa renda para distribuição gratuita à população socialmente vulnerável. O Centro de Cultura Digital também conta com unidades no Jardim São Rafael (Céu das Artes), Vale do Sol (CRAS), Centro Afro e Centro da Juventude (Jardim Pinheiros), que oferecem cursos e oficinas, com uma média de atendimento mensal de 200 pessoas.
Propostas
O Programa de Governo da coligação ‘Cuidando de Araraquara 2021-2024 apresenta algumas propostas na área de Economia Solidária. Na área de desenvolvimento econômico, o governo Edinho pretende estruturar e ampliar a Incubadora Pública de Economia Criativa e Solidária, criando um espaço voltado ao turismo, de modo a movimentar a economia e criar renda para as famílias. Outras propostas são fortalecer a economia criativa nos Territórios, criar um centro de comércio solidário, criar um Programa de Empreendedorismo para a Economia Criativa, criar o Centro Produtivo de Economia Solidária e Saúde Mental, criar um banco comunitário e uma moeda social, criar programa voltado ao fortalecimento do empreendedorismo e das associações que desenvolvam projetos, produtos, artesanatos, festas e eventos que resgatam e divulgam as diversas manifestações populares e étnica-culturais, além de estruturar e ampliar os Centros de Cultura Digital.