Casa Abrigo de Araraquara vive noite de terror

Duas adolescentes teriam agredido um guarda municipal e ameaçado cortar o pescoço da psicóloga da unidade

481

Funcionários da Casa Abrigo de Araraquara, local onde são acolhidas temporariamente mulheres e adolescentes vítimas de violência, além de oferecer acompanhamento psicológico e orientação sócio-econômica e jurídica para as mesmas, viveram uma noite de terror. Duas ocorrências policiais foram registradas na unidade entre a noite dessa sexta-feira (30) e a madrugada deste sábado (31), envolvendo agressões e ameaças a funcionários do local e também a guardas municipais que foram acionados por eles.

Segundo o apurado, o primeiro caso foi registrado no início da noite de sexta-feira, quando duas adolescentes, de 13 e 17 anos, passaram a xingar e tentar agredir as pessoas que passavam em frente ao local. A Guarda Municipal foi acionada e quando os agentes entraram na Casa, um deles foi atingido por um balde que teria sido jogado pela adolescente, de 13 anos. O GCM sofreu um ferimento no rosto e o caso foi registrado em Boletim de Ocorrência.

Já por volta de 4h da madrugada de hoje (31), as adolescentes iniciaram uma confusão e quebraram vidros de portas e janelas do imóvel. Assustadas, as funcionárias tentaram fugir, mas teriam sido abordadas pela adolescente, de 13 anos, que estaria sendo incentivada pela mais velha. A dupla trancou a psicóloga da unidade no local e ameaçou cortar seu pescoço com um pedaço de vidro. A Guarda Municipal foi novamente acionada e conseguiu deter as adolescentes infratoras.

As meninas foram encaminhadas para a Delegacia de Plantão, onde foi registrado o Ato Infracional de ameaça e dano. Em seguida, a dupla foi recolhida à Fundação Casa para aguardar a apreciação do caso pela justiça.

Contra as adolescentes já constava outros Boletins de Ocorrência de agressão, dano, roubo e tráfico de entorpecentes.

Foto: O Imparcial