Semana Luís Antonio apresenta Café de Investigação, podcast, Cena Curta e fotonovelas na terça

Evani Tavares Lima, Rodolfo Groppo, Higor e Victor Ferrari comandam a programação do quarto dia da Semana

12

A programação da 32ª Semana Luís Antonio Martinez Corrêa, nesta terça-feira, 08 de setembro, apresenta: o Café de Investigação “Apontamentos sobre o teatro Negro no Brasil”, com a convidada Profª. Drª. Evani Tavares Lima (17h); o podcast “Luz na violência – vozes ecoam”, com Rodolfo Groppo e Higor (20h); e a Cena Curta “O Cavalo de Ruuskanen”, com Victor Ferrari (20h30).

“O palco em casa: tempo e afeto” é o tema da Semana Luís Antonio nesta edição que tem a curadoria de Flávia Marquetti. A programação em formato digital segue até 12 de setembro no canal da Prefeitura de Araraquara no Youtube ou pelos links disponibilizados nas suas redes sociais.

A programação é composta por lives com Cafés de Investigação (bate-papos e debates), apresentações cênicas, leituras dramáticas, Cenas Curtas, podcasts, fotonovelas e vídeos, e pode ser conferida nos canais de comunicação da Prefeitura de Araraquara.

“Apontamentos sobre o teatro Negro no Brasil” é o tema do Café de Investigação com a convidada Profª. Drª. Evani Tavares Lima, professora adjunta da Área de Artes da Universidade Federal do Sul da Bahia, com Pós-doutorado em Artes Cênicas (UFBA). Entre suas pesquisas, destacam-se: “Contribuições da Performance Negra para o Teatro Brasileiro”, “Um Olhar sobre o Teatro Negro do Teatro Experimental do Negro e do Bando de Teatro Olodum”, “Capoeira angola como treinamento para o ator”, além da autoria do livro ganhador do Prêmio Selo Letras da Bahia, da Fundação Pedro Calmon: “Capoeira Angola como Treinamento para o Ator”.

Como atriz, Evani participou de diversos espetáculos, entre eles: A Sombra de Quixote (direção de Cacá Carvalho e Roberto Bacci); Os Iks (direção de Francisco Medeiros), Medéia (direção de Hans Ulrish-Becker) e O sonho (dir. Gabriel Vilela). O Café de Investigação tem início às 17 horas.

À noite, às 20 horas, tem o podcast “Luz na violência – vozes ecoam” – uma criação autoral de Higor, que junto a Rodolfo Groppo, conduz um debate que traz à luz a necessidade no ecoar de vozes inquietas, apostando que a arte é mais excitante que o crime, mais poderosa que a morte, mais transformadora que a política e mais alimentadora que a economia.

A Cena Curta baseada no poema “O Cavalo de Ruuskanen”, de Bertolt Brecht, será interpretada  às 20h30 pelo ator araraquarense Victor Ferrari, narrando o infeliz trajeto de uma vila de camponeses que ao proteger a vida de um cavalo – que é a força de trabalho daquela comunidade – coloca em risco e em confronto com grupos sociais distintos que são sustentados pela observância de um sistema político totalitário.

A disputa pelo direito à terra, as lutas travadas por esses grupos e o trabalho pela cooperação e coletividade são apresentados nesse breve texto, ao mesmo tempo que se questiona o imperativo da lei quando esta não representa, nem dá subsídio para se viver em plena segurança. Afinal lei é lei!

Também, durante toda a Semana Luís Antonio, estão disponibilizadas duas fotonovelas no Facebook do Município de Araraquara: “A dor de Geni”, com Maria da Maré, e “Luís Antonio: florescer em ¼ de colagem”, com o grupo Quarteto em Do(r) Menor.

Em “A dor de Geni”, a atriz Maria da Maré lembra que Geni, conhecida pela aparição icônica na peça “Ópera do Malandro”, de Chico Buarque, com direção de Luís Antônio Martinez Corrêa, sempre foi uma travesti. O que ninguém nunca viu, ou pelo menos, nunca quis ver, era a dor que ela carregava. Na fotonovela, a atriz Maria da Maré usa o banheiro como palco e retrata a pele que rasga e o estômago que sente o que só uma travesti sabe. Ao tentar se adequar às expectativas, talvez, ela não seja piada e chacota diariamente.

Já “Luís Antônio: Florescer em 1/4 de colagem”, com o Grupo Quarteto em Do(r) Menor, apresenta uma história de Luís Antonio Martinez Corrêa adolescente e de seu quarto com uma parede adornada com colagens daquilo que ele mais gostava. Daniel Marcondes, Paula Marcondes, Rafael Muniz Pacchiega e Tânia Gomes Mendonça realizam um mergulho na juventude de Luís.