Mostra Wallace Leal apresenta “Cidade em Transe” e “Currais”

“Currais” recebeu o prêmio de melhor filme da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo 2019

337

A 8ª Mostra de Audiovisual Wallace Leal Valentin Rodrigues apresenta dois filmes no penúltimo dia de sua programação, nesta sexta-feira (13): o curta “Cidade em Transe”, com direção de Jacqueline Durans, e o filme cearense “Currais”. As exibições acontecem no Teatro Wallace Leal, com início às 19h30. A programação, realizada pela Secretaria Municipal da Cultura e Fundart, é gratuita.

“Cidade em Transe” é um drama, com quase 13 minutos, que apresenta a malha da cidade, seus territórios e fronteiras construídos pelos seus habitantes e, cada movimento no ponteiro do relógio, corresponde a um tempo movimento a menos. Em cada passo, cada suspiro poder conter o último.

Produzido e lançado em 2016, “Cidade em Transe” tem direção de Jacqueline Durans, que estudou Cinema na UNESA (Campus João Uchoa) e participou de cursos e workshops com nomes como: Fotografia Walter Carvalho, Edgar Moura e Eduardo Escorel, no MAM Rio, entre vários outros. Sua filmografia conta com: “Outro sonho” (2018), “Game Of Problems”, “Achei o meu nariz” (2016), “Cidade em Transe” (2016), “O peixe está assando. Estamos todos bem!”, “Antes de abrir as cortinas” e “Na calada da noite” (2015).

“Cidade em Transe” foi exibido na Mostra “Mulheres Que Gritam Ação”, do Instituto Moreira Sales, em Poços de Caldas MG; no CINEMAM do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e NucineClube da UNESA no Campus João Uchoa.

Já o filme cearense “Currais”, com direção de David Aguiar e Sabina Colares, conta sobre os campos de concentração que existiram em 1932 pelo Estado do Ceará. “Misto de documentário e ficção, o filme acompanha Romeu, um personagem fictício que viaja pelo sertão do Nordeste em busca de respostas e vestígios dos campos de concentração onde, em 1932, flagelados da seca foram aprisionados em troca de sobrevivência. Romeu vai costurando memórias a partir de relatos reais, documentos e fotos.

A sinopse de “Currais” conta que Romeu viaja de carro pelo sertão em busca de respostas e vestígios sobre os Campos de Concentração do Ceará, no qual dezenas de milhares de flagelados da seca de 1932 foram aprisionados em troca de sobrevivência.

Romeu inicia sua procura, apenas, com documentos, fotos e poucas gravações em fitas cassetes de relatos de seu avô sobre as atrocidades que este vivenciou quando fora cativo no campo do Patu em Senador Pompeu. Ele vivenciará uma personagem dispositivo num filme Road Movie nos conduzindo pelos córregos do real.

Currais” recebeu o Prêmio da ABRACCINE de Melhor Filme Brasileiro de Diretor Estreante da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo 2019 (a Mostra apresentou 328 filmes vindos de 52 países divididos em 1.115 sessões).

Os diretores David Aguiar e Sabina Colares estudaram cinema e audiovisual na Universidade Federal do Ceará. Eles vêm trabalhando juntos desde 2013, quando dirigiram e roteirizaram o curta-metragem “Atalho”. Também trabalharam juntos nos curtas “Tempo Branco” (2014) e “Conhecendo o Desconhecido” (2014). “Currais” é o primeiro longa-metragem da dupla.

Vale destacar que no último dia da Mostra Wallace Leal, no sábado (dia 14), no Centro de Referência da Mulher, será realizado um bate-papo com Leticia Bassit sobre o projeto transmidiático “Eu (também) não gozei”, às 10 horas. Depois, os curtas “Marie” e “Perifericu” serão exibidos no Teatro Wallace Leal a partir das 19h). Após os filmes, a Festa “Tocaya: Luz, Câmera e Som” encerra a Mostra, a partir das 20 horas, na quadra da Casa da Cultura, com muita trilha sonora de filmes esquentando a noite.

O Teatro Wallace Leal Valentin Rodrigues está localizado na Avenida Espanha, 485, no Centro de Araraquara.