Mostra de Teatro Infantil começa sábado (10) e segue até o Dia das Crianças

Programação com artistas da cidade é composta por contações de histórias e podcasts

10

O Dia das Crianças, 12 de outubro, está chegando e, para comemorar a data, a Prefeitura de Araraquara, por meio da Secretaria Municipal da Cultura e da Fundart, realiza a Mostra de Teatro Infantil Ariovaldo dos Santos, nos dias 10, 11 e 12 de outubro. Uma programação com contação de histórias e podcasts poderá ser acompanhada com a participação de artistas da cidade selecionados por meio de edital.

A programação – gratuita e aberta a todos os interessados – pode ser conferida no canal da Prefeitura de Araraquara no Youtube (www.youtube.com/prefeituradeararaquaraoficial); o link será disponibilizado na página provisória da Prefeitura no Facebook (@MunicípioAraraquara).

Sábado

No sábado, dia 10, a Mostra de Teatro Infantil abre com a contação de histórias “O Circo da Lua”, às 10 horas, com Bella Santos e Jenifer Costa, em um mergulho na pesquisa do circo mambembe, que traz magia, palhaços e aventuras.

À tarde, às 14 horas, o ator vitorugo apresenta a contação escrita por ele “As amizades de Kingel”, em que retrata – de forma lúdica e educativa – um momento atual, onde uma horta comunitária e plantações de frutas passam por um grande problema, prejudicando a colheita e a felicidade de todas.

O podcast “Me contaram que na África…”, de Maia e Neila Dória, é voltado para o público infantil e conta três curiosas histórias baseadas em lendas africanas. De forma lúdica, rápida e bem humorada, questões como a criação do universo, o surgimento dos seres humanos e a diversidade cultural são abordadas com muita leveza para os pequenos e pequenas.

Por fim, o sábado se encerra com a contação “As aventuras de Curupira e Saci Pererê”, às 17 horas, com Edilena Malta. A contação traz estes personagens da cultura popular brasileira em choque quando conhecem uma cidade grande. Os problemas da vida moderna e suas dificuldades, a destruição das florestas e do modo de vida de seus habitantes, a discriminação, a busca por empatia e a solidariedade humana aparecem de onde não se espera.

Domingo

Na manhã de domingo, às 10 horas, tem “Contos de Ovelharia: A História do Primo Pavão”. A Companhia SubverCia conta a história da visita do primo pavão à fazenda, onde muita confusão acontece quando ele insiste em mostrar para os outros animais que é muito melhor do que eles só porque mora na cidade. Uma história sobre humildade, amizade e reconhecimento dos próprios erros e capacidades, com Tiago Rosin e Eleonora Ducerisier.

O podcast “Brincando na Terra”, com Vitorugo e Vitor Matheus, é a atração das 14 horas. Os apresentadores mergulham na memória de suas infâncias e tecem um encontro entre as adaptações dos livros “O Menino do Dedo Verde”, de Maurice Druon, e “Espera, moleque”, de Luciene Tognetta. Juntos, tornam essa passagem da vida mais especial, construindo um momento lúdico de conversas e de descobertas sobre adaptações e enfrentamento aos nossos medos. Indicado para todas as crianças e suas famílias.

 “A Menina Inteligente”, uma contação com Morada das Histórias, começa às 16 horas. Esta história tradicional é cheia de: grandes desafios, bom humor, emoção e muita poesia para contar como a filha de um camponês pobre conseguiu desafiar, com seus argumentos e ações, as pretensões mal intencionadas de um homem rico e os enigmas quase impossíveis de um poderoso czar da Rússia.

O podcast “Espelho, espelho meu, será que sou realmente eu?”, com Higor e Luana Germano, fecha as atrações do domingo, às 17 horas. Nesta conversa, Higor e Luana se jogam num universo de contos de fadas e da imaginação, conversando de frente para o espelho e trazendo novas descobertas sobre a personagem da sua própria história.

Dia das Crianças (segunda) – São cinco atrações no Dia das Crianças, sendo duas delas pela manhã: “O meu medo do medo do escuro”, às 10 horas, com a Companhia SubverCia, e “Sonhos Possíveis”, às 10h30, uma contação de histórias com Grupo Cortex. À tarde a programação apresenta: “Cururú, Petúnia e o Moleque Beijo”, podcast com Denis Pimentta e Tania Capel (14h); “A Lenda da Abayomi”, contação de histórias com Samantha Caetano e Márcio Rocha (16h); e “Dudu, o baiacu”, um podcast com a Produtora Menino Andante (17h).

 “O meu medo do medo do escuro”, com a SubverCia (10h), apresenta a história de “Inteira”, uma meia que vive escondidinha no fundo da gaveta e que tem medo do… claro! Por isso ela nunca sai da gaveta! Mas um dia, algo acontece e Inteira se vê na pilha de roupa para passar… do lado de fora. É aí que começa “O meu medo do medo do claro”, uma fábula sobre medo, coragem e aceitação, em um espetáculo visual repleto de beleza, magia e muita aventura, com bonecos brilhando à luz negra e cascatas de luzinhas que fariam qualquer meia Inteira tremer!

Em “Sonhos Possíveis” (10h30), o grupo Córtex apresenta ao público a jornada do ratinho Lúcio. Numa noite fria, Lúcio toma o leite guardado para uma criança que chora junto com a mãe e, por isso, ele sai em busca de conseguir mais leite. Porém ele vai se deparando com situações ao qual um problema, para ser resolvido, depende de que outro seja solucionado e a colaboração de todos é muito importante. A apresentação de “Sonhos Possíveis” conta com Guilherme Papa e Roxanie Silva e direção de Domenica Morvillo.

 “Cururú, Petúnia e o Moleque Beijo”, podcast com Denis Pimentta e Tania Capel, apresenta um programa de rádio divertido, maluco e brincante, onde os palhaços Cururu e Petúnia vão contar para as crianças, a história de Benjamim de Oliveira, o primeiro grande palhaço negro do Brasil, idealizador e criador do circo-teatro. Benjamim teve uma história muito difícil, mas rompeu todos os preconceitos e se tornou uma referência na cultura brasileira.

“A Lenda da Abayomi” (16h) é uma contação de histórias com Samantha Caetano e Márcio Rocha, inspirada nas bonecas criadas e confeccionadas pela artista de São Luis do Maranhão Lena Martins, educadora popular e militante do Movimento de Mulheres Negras. As bonecas são consideradas símbolos de resistência, evidenciando a memória, identidade e ancestralidade, e valorizando a diversidade cultural e a importância histórica e social em torno das bonecas. Um dos elementos de afirmação das raízes da cultura afro-brasileira, as Abayomis são também elementos do poder e determinação das mulheres negras.

O podcast “Dudu, o Baiacu” (17h), com a Produtora Menino Andante, apresenta Dudu, um peixe baiacu que deseja ser como o sol. Mas em sua aventura ele corre um grande risco de inflar até estourar. O podcast é uma ficção de autoria de Zé Guilherme e Fábio Lucca, narrada por Zé Guilherme. A narração é marcada pela sinestesia auditiva-tátil, fazendo com que o ouvinte, através dos sons, imagine as ações e sinta as sensações táteis da jornada de Dudu.