Centro de Ciências de Araraquara abre exposição sobre Primo Levi

105

Qual a relação entre a química, a literatura e os direitos humanos? Temas aparentemente tão distantes foram brilhantemente integrados pelo químico e escritor judeu Primo Levi (1919-1987) e são objeto da exposição “Um quimiscritor no museu: ciência, literatura e direitos humanos com Primo Levi”. Após ser mantido como prisioneiro no campo de concentração de Auschwitz, Primo Levi publicou um conjunto de livros que condensa relações múltiplas e complexas entre a ciência, a química e os direitos humanos.

No dia 01 de outubro, às 14h, será inaugurada a exposição no Centro de Ciências de Araraquara, museu vinculado à UNESP, homenageando os 100 anos do nascimento de Levi e comemorando os 150 anos da Tabela Periódica, título de uma de suas obras que recebeu o prêmio de melhor livro de ciências de todos os tempos. A abertura contará com uma palestra do Prof. Dr. João Zuin, da Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara (FCLAr/UNESP), que abordará a desumanização sofrida por Primo Levi e sua relação com a química e a literatura.

Voltada para o público escolar de todos os níveis e para o público geral, a exposição pretende mostrar uma perspectiva integrada da arte e da ciência e enfocar assuntos urgentes como os direitos humanos. A exposição é composta de imagens, textos, materiais audiovisuais e interativos sobre a vida e obra desse escritor, sua experiência como químico e como escritor e traz conceitos da química explicados pelas palavras do autor. Merece destaque uma tabela periódica interativa na qual cada elemento químico é uma espécie de caixa-surpresa. Ao escolher um elemento, o visitante tem acesso a informações, a uma amostra elementar e a textos e áudios com trechos das obras de Levi sobre esse elemento.

A exposição é o resultado de diversas ações de ensino, pesquisa e extensão envolvendo o Primo Levi e coordenadas pela Profa. Dra. Luciana Massi, do Departamento de Didática da FCLAR/UNESP. Especificamente, o planejamento e a montagem da exposição ocorreu no contexto de uma disciplina do curso de Licenciatura em Química, ministrada este ano com a estagiária Luciane Jatobá Palmieri e o apoio de Carlos Sérgio Leonardo Júnior e Rafaela Valero da Silva, orientandos da Profa. Luciana. Os licenciandos que cursam a disciplina se dedicaram intensamente à exposição e acompanharão os visitantes no mês de outubro.

A exposição é permanente e pode ser visitada no Centro de Ciências, localizado na Av. Dr. Bernardino de Almeida, s/n, no Jd. Santa Lúcia, de segunda à sexta-feira das 8h às 12h e das 14h às 17h e no primeiro sábado de cada mês das 8h às 12h. A montagem da exposição teve apoio da Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara, do Instituto de Química de Araraquara, da E-ditora Letraria, da Editora UNESP, do Centro de Ciências de Araraquara, da Fundação de Apoio à Ciência, Tecnologia e Educação (FACTE), do Sesc de Araraquara e do Centro Internacional de Estudos Primo Levi.

 

SERVIÇO:

Abertura da exposição permanente “Um quimiscritor no museu: ciência, literatura e direitos humanos com Primo Levi”

Local: CCA – Centro de Ciências de Araraquara (Av. Dr. Bernardino de Almeida, s/nº – Jd. Santa Lúcia)

Data: terça-feira (01 de outubro)

Horário: 14 horas

Grátis