Artista visual araraquarense é destaque na Galeria Transarte, em São Paulo

116

A artista visual araraquarense Liz Under, 23 anos, ganha destaque, a partir deste mês, com sua participação na exposição “Sempre Gay”, na Galeria Transarte, em São Paulo. O convite para a atividade partiu da renomada artista Maria Bonomi, grande destaque da Bienal de Gravura de Araraquara o ano passado.

A Transarte é uma galeria pioneira na apresentação de artistas com temática LGBTq+ e arte transgressora e, novamente, destaca jovens que militam corajosamente nas artes visuais do Brasil com trabalhos em fotografia, pintura, desenho e gravura. A exposição “Sempre Gay” será lançada no próximo dia 24 de outubro, com a participação de quatro artistas – Bia Leite, Eduardo Mafea, Pedro Stephan e Liz Under. Neste prato cheio de coragem estética e conceitual, a Transarte concebeu a exposição “Sempre Gay” com estes quatro artistas pela astúcia que associam poética e plástica.

Liz Under conta que foi “pega de surpresa” com o convite vindo direto da renomada Maria Bonomi. “Ela entrou em contato comigo para falar com Lena Peres, proprietária da galeria Transarte que é também sua companheira. Ela me falou sobre a temática e o nome da exposição, ‘Sempre Gay’, e me interessou muito pelo conteúdo denunciativo em forma de arte resistência, quase uma forma de ‘artivismo’. É uma exposição urgente na atual situação do país, onde artistas são censurados e perseguidos e existe uma necropolítica escancarada – que é o uso do poder social e político para decidir quem vive e quem morre, e é lógico que quem morre são as minorias: LGBTs+, pessoas negras, pobres…”, aponta a artista de Araraquara.

Ela selecionou para a exposição artes que denunciam o ciclo da violência, o feminicídio e as relações de poder dentro do sistema patriarcal. Entre elas estão algumas fotografias da série “Vênus em Trabalho de Parto”, o desenho à carvão “Eva com Vênus”, além de litografias que fez na Bahia, como: “Filhas do Sol”, “Vênus sem Botticelli” e “Miserável”. “São obras polêmicas que estiveram presentes na Bienal Internacional de Gravura Lívio Abramo”, conta Liz, lembrando que, nessa Bienal, duas dessas três obras acabaram criando uma grande polêmica pelo conteúdo denunciativo e explícito, onde Vênus e outras musas revoltadas cozinham e pisam em falos mutilados.

Foi devido à repercussão do trabalho que Maria Bonomi – artista homenageada e convidada da Bienal de Gravura – conheceu o trabalho de Liz. “Eu não cheguei a ver Maria Bonomi pessoalmente, apesar de ser uma grande admiradora. Eu estava em Salvador e não tive como vir a Araraquara”, revela.

Vale lembrar que Liz estudou Litografia no Museu de Arte Moderna da Bahia (o MAM-BA), em Salvador-BA, no ano de 2018 e, recentemente, em maio, expôs em Lisboa compondo a coletiva “Arte Resistência num Brasil de Retrocessos”. A artista concentra sua produção gráfica em arte pop, inspirada por elementos simbólicos comuns aos quadrinhos, além de procurar referências na ilustração medieval. Seus trabalhos vão desde a gravura, desenho às intervenções urbanas.

Agora, Liz Under, nossa “impetuosa desenhista desordenada”, com sua imaginação e rebeldia, alça o grande vôo rumo a São Paulo! A Galeria Transarte está localizada na Rua Mourato Coelho, 1271, em São Paulo, com horário de atendimento de quinta e sexta, das 14h às 19h, e aos sábados das 14 às 18h. A exposição segue em cartaz até o dia 14 de dezembro, com entrada gratuita.