Voluntários confeccionam e doam máscaras descartáveis

Médico de Saúde da Família destaca importância das doações, explica direcionamento e quando a máscara deve ser utilizada

278

 

Em meio à pandemia do novo Coronavírus que atinge países em quase todo o planeta, um grupo de voluntários de Araraquara está confeccionando máscaras descartáveis de TNT e doando a pacientes com sintomas respiratórios.

Segundo uma das líderes do grupo, a pedagoga e artesã Joice Rex Flávio, após uma semana de trabalho, as primeiras 430 unidades, totalmente higienizadas, já foram entregues na terça-feira (31 de março) em três instituições da cidade – posto de Saúde do Maria Luiza e asilos São Francisco e Vila Vicentina.

Em entrevista ao programa ‘Canal Direto – Especial Coronavirus na mesma terça-feira, via página do Facebook da Prefeitura, Joice acrescentou que outras 400 máscaras em processo de confecção devem ser entregues até esta sexta-feira (3 de abril) em outras unidades de Araraquara.

Conforme acrescentou a artesã, as primeiras 800 máscaras foram produzidas com recursos financeiros do próprio grupo de voluntários, formado através de convocações feitas pelas redes sociais.

Para dar sequência aos trabalhos, a expectativa é que outras pessoas possam aderir à campanha para novas confecções. Além do TNT, cada máscara é composta de elástico e linha comum utilizada em máquinas de costura de roupas.

Joice reiterou que o trabalho do grupo é “movido pelo amor ao próximo” e que a ação voluntária de cada pessoa pode fazer a diferença para muitas outras.

Condições especiais

O médico de Família e Comunidade da rede municipal de Saúde de Araraquara, Filipe Delfini afirmou também no Canal Direto – Especial Coronavirus que as máquinas confeccionadas pelos voluntários são consideradas seguras.

Porém, recomendou que o produto seja utilizado somente por pacientes com sintomas respiratórios, para evitar que sejam expelidas gotículas contaminadas com o vírus, principalmente quando espirram, tossem ou falam com outras pessoas.

O médico acrescentou que pessoas com sintomas respiratórios devem procurar a rede de saúde para exames. Caso se confirme os sintomas, o paciente recebe atestado e termo declaratório para que permaneça em casa por 14 dias, da mesma forma que as pessoas da família com as quais ele conviva.

“As máscaras só devem ser utilizadas nestes casos e por funcionários da saúde que estão na linha de frente atendendo os pacientes”, reiterou o dr. Filipe.

Vale destacar que em caso de atendimentos mais complexos, é necessário outros tipos de máscaras, que sejam ainda mais seguras tendo outros tipos de filtros.

Felipe reiterou a importância do isolamento social, principalmente dos idosos, que devem contar com apoio da família para que permaneçam em suas casas neste momento difícil provocado pela ameaça do novo coranavirus.

Recomendações

Vale destacar que apesar da Covid-19 (doença provocada pelo coronavirus) atingir mais os idosos a partir dos 60 anos, o vírus pode atingir pessoas de todas as idades, inclusive crianças e jovens, o que só reforça a importância do confinamento.

E aos que precisam sair de casa para o trabalho ou para outros afazeres essenciais, é importante que mantenham a distância de pelo um metro em relação a outras pessoas, e ao espirrar ou tossir colocar a boca na altura do ombro para não disseminar o vírus.

Também é importante nunca se esquecer de lavar as mãos constantemente com água e sabão, ou higienizá-las com álcool em gel.

E para quem precisar usar a máscara descartável, o médico Filipe Delfini ainda recomendou ser necessário higienizar as mãos antes de colocar e depois de retirar a proteção, sempre com as mãos na altura das orelhas.