Prevenção aumenta chances de cura de câncer de próstata

57

A cada 40 minutos, um homem morre vítima do câncer de próstata, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Mas a detecção precoce da doença pode elevar as chances de cura para 90%, conforme explicado pelo urologista Antônio Hélio Baccari ao vereador Gerson da Farmácia (MDB) na segunda-feira (4). O parlamentar é autor da lei que instituiu, no município, a campanha “Novembro Azul”, dedicada à saúde do homem e, principalmente, à prevenção do câncer de próstata.

“Como presidente da Comissão de Saúde, Educação e Desenvolvimento Social da Câmara Municipal, dou muita importância a ações de promoção de saúde, que levam informação às pessoas e, consequentemente, salvam muitas vidas”, enfatizou Gerson. Ele lembrou que o câncer de próstata é o segundo mais frequente entre os homens, ficando atrás apenas dos tumores de pele.

O câncer de próstata é potencialmente curável, como assinalou o urologista, e muitos homens deixam de se cuidar por puro preconceito. “Na fase inicial, a doença é quase assintomática e 20% dos casos são diagnosticados exclusivamente pelo exame de toque retal”, disse o médico. Ele ainda citou a combinação do exame de sangue de Antígeno Prostático Específico (PSA) para investigar os sinais, e ressaltou que a confirmação diagnóstica para início do tratamento só ocorre por meio de biópsia.

O que é a próstata?

Muitos homens não sabem, mas a próstata é uma glândula exclusiva do sexo masculino, localizada abaixo da bexiga e atravessada pela uretra. Ela é responsável por grande parte da produção do sêmen e também auxilia no controle urinário. Por isso, quando inflamada ou aumentada provoca alterações no fluxo urinário, comprometendo a qualidade de vida da pessoa. O que geralmente não acontece em caso de câncer, já que os tumores tendem a se localizar na região periférica, não interferindo na uretra e, consequentemente, sem apresentar sintomas na fase inicial. “Cerca de 95% dos casos que apresentam algum sinal já estão em fase adiantada”, alerta Baccari.

A recomendação é que todo homem acima dos 50 anos faça o exame de toque retal uma vez por ano. Se houver fatores de risco, o início deve ser aos 45 anos.

 

Fatores de risco

Idade

Histórico de câncer na família

Sobrepeso e obesidade