Prefeitura reforça combate à dengue em meio à luta contra o coronavírus

Mais 26 apoiadores no combate à dengue começam a trabalhar nesta segunda (23); ao todo, já são cerca de 500 apoiadores atuando em Araraquara

203

Começaram a trabalhar nesta segunda-feira (23) mais 26 novos apoiadores no combate à dengue. No total, já são cerca de 500 pessoas atuando nas ações contra criadouros do mosquito Aedes aegypti por meio do programa. As últimas contratações chegam para reforçar o combate à dengue em meio à luta contra o coronavírus.

Vinculados à Secretaria Municipal da Saúde, esses trabalhadores possuem papel essencial em Araraquara. “Nós não podemos permitir em hipótese alguma que venhamos a ter uma epidemia de dengue ou um aumento dos casos de dengue neste momento, pois isso significa aumentar a letalidade com a contaminação do coronavírus de acordo com as autoridades médicas”, afirma o prefeito Edinho.

O prefeito reforça ainda que as unidades de educação infantil estão tomando medidas para atender os filhos de todos os servidores que estão na linha de frente contra o coronavírus, incluindo os profissionais da saúde e, portanto, os apoiadores no combate à dengue.

“Agradeço muito, mas muito mesmo, a todos os nossos servidores, que não estão sendo individualistas, que estão olhando para o coletivo, estão olhando para a necessidade de nós derrotarmos essas doenças”, pontua Edinho.

“Eu espero que a nossa solidariedade contagie muito mais do que o vírus. E tenho certeza que nós juntos, unidos, vamos sair mais fortes desse processo todo porque nós vamos derrotar o vírus aqui em Araraquara”, reforça o prefeito.

Programa

O programa de apoiadores integra o “Araraquara Contra a Dengue” e tem o objetivo de fortalecer as ações de limpeza pública e de combate ao Aedes aegypti. Pessoas em situação de vulnerabilidade social e que estão cadastradas nos Cras (Centros de Referência da Assistência Social) recebem a oportunidade de um trabalho temporário e ajudam o Município no combate à dengue.

Os apoiadores têm carga horária de 30 horas semanais e recebem por hora trabalhada. O contrato temporário tem validade de seis meses, que pode ser prorrogado por mais seis meses. A ordem de chamada segue classificação elaborada de acordo com a situação social de cada participante.

______________________________________________________________________________