Posto de combustíveis é flagrado desviando energia em operação da CPFL em Araraquara

Operação da CPFL Paulista realiza ação de combate a fraudes e furtos de energia em Araraquara

121

A CPFL Paulista realizou nesta semana uma operação contra fraudes e furtos na rede elétrica em Araraquara. Na operação, um posto de gasolina na entrada da cidade foi identificado com inconsistências nas medições e nos consumos de energia do local. A fraude foi identificada com um desvio ilegal realizado na alvenaria do posto.

Para encontrar o ponto exato da fraude, foi preciso realizar uma abertura na infraestrutura do local. Após a constatação do furto no sistema de medição, os responsáveis pelo estabelecimento deixaram o local. Por isso, a companhia registrou Boletim de Ocorrência para que as autoridades policiais promovam as investigações criminais e comunicará a holding da franquia ligada ao posto de combustível sobre o ato ilícito realizado pelo proprietário.

A CPFL Paulista estima que a energia recuperada após a operação, aproximadamente 43.616,45 KWh, seja corresponde ao consumo de aproximadamente 220 residências em média, durante 30 dias. Se essa energia recuperada for convertida em tarifa de venda do serviço, ela representa cerca de R$28.416,00 dos quais parte volta para os cofres públicos em forma de impostos (ICMS e PIS/Cofins) que não foram pagos e serão revertidos para benefício da população.

“A CPFL Paulista realiza importantes ações de combate às fraudes e furtos em conjunto com os órgãos públicos e autoridades policiais, que têm auxiliado significativamente o trabalho. A empresa também adotou novas tecnologias, com mais inteligência, em seus processos de monitoramento e análise”.

Tecnologia e inteligência

Os investimentos no uso de inteligência, tecnologia e canais de denúncias resultaram em maior eficiência nas ações de combate a fraudes e furtos de energia, os famosos “gatos”. Tanto que, no primeiro semestre deste ano, a Companhia conseguiu regularizar 1.382 fraudes e recuperar 8,9 GWh na região de São Carlos e Araraquara. O volume, que já corresponde a 95,4% do recuperado durante 2019, seria suficiente para abastecer 59.604 residências durante um mês.

Entre os municípios com maior recuperação de energia na região, Araraquara registrou 2,7 mil MWh, ficando em primeiro lugar. São Carlos ocupa a segunda posição com 1,6 mil MWh. Matão é a terceira da lista com 1,2 mil MWh, enquanto Ibitinga, com 631 MWh, seguida por Américo Brasiliense, com 542 MWh, fecham o ranking.

Para a identificação das infrações, a Companhia realiza frequentes inspeções no sistema. Além disso, o grupo faz regularmente a blindagem de rede e, quando encontra indícios de fraude, passa a organizar medições periódicas de padrões de consumo do local flagrado, de forma a evitar a reincidência de furtos. Essas tecnologias de monitoramento contínuo e à distância permitem que a distribuidora aumente a produtividade das equipes e intensifique suas iniciativas contra o crime sem a necessidade de deslocar os técnicos.

Crime

Fraudes e furtos de energia são crimes previstos no Código Penal. Além disso, a pessoa que for flagrada cometendo a irregularidade terá cobrados os valores retroativos referentes ao período em que deixou de pagar pelo fornecimento.

Outra consequência das fraudes e furtos é a piora na qualidade do serviço de distribuição de energia, uma vez que as ligações clandestinas sobrecarregam as redes elétricas, podendo provocar graves acidentes com os fraudadores e com as pessoas que residem no local da fraude.

Clientes da CPFL Paulista podem contribuir para o combate às irregularidades por meio dos canais disponibilizados pela concessionária. Denúncias podem ser realizadas pelo aplicativo “CPFL Energia”, disponível para todas as plataformas de dispositivos móveis, pelo sitewww.cpfl.com.br/fraude, ou pelo e-mail denunciafraude@cpfl.com.br.

O auxílio dos moradores tem sido fundamental para coibir o crime nas regiões. Para se ter uma ideia, as distribuidoras da CPFL Energia receberam, em 2019, mais de 96 mil contatos de consumidores relatando alguma irregularidade na rede, sendo que uma denúncia em cada quatro acaba sendo confirmada pela Companhia em suas inspeções. No Grupo CPFL, ao longo do ano foram realizadas ações de investigação que geraram 235 prisões durante operativos policiais de combate ao furto de energia. Com o auxílio da população, foi possível recuperar 21,2 mil MWh de energia furtada, o suficiente para abastecer 20 mil casas no período de um ano.