Perspectivas climáticas em Araraquara e no Brasil são discutidas em Audiência Pública

45

Discutir as consequências das queimadas e do desmatamento da Amazônia, bem como pensar em políticas públicas no município para mitigar os danos da devastação ambiental, foram os objetivos da Audiência Pública “A situação climática e ambiental no Brasil e o papel da cidade de Araraquara”, promovida pela vereadora Thainara Faria (PT) e realizada no Plenário da Câmara Municipal na sexta-feira (13).

Durante a audiência, os impactos diretos da destruição da maior floresta do mundo foram abordados. “A gente tem que entender que a Amazônia tem um papel fundamental não só para aquela região, mas para todo o quadrilátero que inclui o Centro-Oeste e o Sudeste. Sem a Amazônia, todo o regime de chuvas é alterado. Por exemplo, o clima seco que estamos enfrentando e a falta de chuvas são consequências diretas da devastação da Amazônia”, reiterou a bióloga e mestranda em Ciências Biológicas na USP Gabrielle Nunes.

A educação ambiental foi destacada como fundamental para as mudanças das perspectivas climáticas. “Precisamos educar pessoas para combater a crise socioambiental que estamos vivendo. Coletivos, formados por pessoas de diferentes áreas com perspectivas distintas, que possam mapear os problemas do território e pensar em conjunto nas soluções”, enfatizou a bióloga, professora e ambientalista Ana Clara Nery.

Diretora de Gestão Ambiental (DGA) do Departamento Autônomo de Água e Esgotos (Daae), Katia Matteo, explicou que, em Araraquara, algumas ações já têm sido feitas para assegurar a manutenção da vida das próximas gerações. “Existe no município um trabalho de conscientização, prevenção e combate às queimadas, bem como a proibição de queima de lixo e material orgânico ou inorgânico na zona urbana, além do incentivo à utilização do transporte público, com a redução da tarifa ao fim de semana”, explicou.

Porém, para Thainara ainda é preciso fazer mais. Ao final do debate, ela destacou alguns encaminhamentos. “Agora nós pensamos em estar junto com a mobilização mundial no próximo dia 20, na ‘Greve pelo Clima’. E depois disso vamos nos reunir com as pessoas que estiveram aqui e outros interessados para pensar na montagem de um fórum, para começarmos a discutir o Plano Diretor da cidade e algumas iniciativas factíveis, como a implantação de ciclofaixas”, finalizou.

E, não se esqueça, se cada um fizer a sua parte, é possível manter a vida dos ecossistemas e, principalmente, da espécie humana. “Reutilizar mais o que nós temos em casa e descartar menos, é o que a população pode fazer pelo meio ambiente. As sacolas reutilizáveis são muito importantes, pois a quantidade de plástico gerada pelas sacolinhas de mercado é muito grande”, lembrou a presidenta da Cooperativa Acácia de Catadores de Materiais Recicláveis de Araraquara, Helena Francisco da Silva.