Mutirão contra a dengue retira 30 toneladas de inservíveis do Selmi Dei, Roxo e Valle Verde

1

A Prefeitura Municipal, através das equipes de vetores da Vigilância Epidemiológica, retirou 30 toneladas de materiais inservíveis e lixo no mutirão de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, realizado neste sábado (23), nas regiões do Selmi Dei, Roxo e Valle Verde.

Foram utilizados 20 caminhões da Prefeitura e cerca de 300 agentes que percorreram ruas e avenidas dos bairros, no período da manhã, recolhendo latas, recipientes plásticos, garrafas, pneus, pias, sucatas e outros materiais que poderiam acumular água e servir de criadouro do mosquito.

A população colaborou colocando nas calçadas todo o material inservível recolhido dos quintais e terrenos.

Das 8h às 12h, as equipes percorreram os bairros Jardim Veneza, Jardim Indaiá, Jardim São Rafael I, Jardim Serra Azul, Residencial Santa Luzia, Jardim São Rafael II, Jardim Boa Vista II e III, Jardim Adalberto Roxo e II, Jardim Selmi Dei I, III, IV e V, Romilda Barbieri, Residencial Laura Molina e Valle Verde. Por conta do tamanho da região, as equipes vão voltar. A programação vai ser divulgada na segunda-feira.

A Prefeitura está fazendo uma série de mutirões nas manhãs de sábado desde o dia 2 de fevereiro, e deve prosseguir até o mês de abril. Toneladas de material estão sendo recolhidos com o objetivo é diminuir a quantidade de possíveis criadouros e engajar a população na luta contra a dengue.

Além disso, a viatura do fumacê também tem percorrido vários bairros desde o início do mês, aplicando inseticida que mata o mosquito adulto.

E nesta manhã de sábado também teve início outra operação contra a dengue: a Vigilância utilizou um drone para aplicar inseticida e larvicida em uma área abandonada na região da Vila Xavier, no espaço entre a antiga fábrica da Cargill, entre a Vila Santa Maria e a Vila Renata, conhecido como “cemitério de vagões”, já que várias composições ferroviárias estão abandonadas no local. Com a chuva, os vagões acumulam água e se transformam em criadouros do mosquito da dengue.
Araraquara tem 3.824 casos de dengue este ano e a Prefeitura pede que a população colabore com as ações de combate à epidemia da doença.