Motociclistas de serviço de entrega rápida esclarecem dúvidas sobre regulamentação

50

Na segunda-feira (23), o vereador Edson Hel (Cidadania) se reuniu com representantes do Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat) e do serviço de entrega por aplicativo Ifood para tratar de assuntos relacionados a regularização dos motoboys do serviço.

Michel Jhonatan Dias de Oliveira e Aleksander da Silva Alves, líderes de dois grupos de motociclistas que trabalham para o aplicativo de entrega, alegaram que a empresa tem exigido uma regulamentação da categoria por meio de um curso de formação, que na cidade é oferecido somente pelo Sest/Senat e está sem turmas no momento. Além disso, o alvará autorizando o trabalho desses motociclistas está parado na Prefeitura, o que dificulta o entendimento do grupo com a fiscalização de trânsito do munícipio.

Os técnicos de Formação Profissional da instituição de ensino, Rodrigo Tadei e Adriano Parreira, explicaram como é a estrutura do curso e quais requisitos para a participação. “Primeiro, eu peço que levantem a documentação desses condutores e os orientem a trazê-la até aqui. Quem tiver o registro de Microempreendor Individual (MEI) poderá fazer o curso de forma gratuita. Além disso, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) exige um número de dez pessoas para abrirmos o curso e como requisitos mínimos ter mais de 21 anos e dois anos de habilitação na categoria A”, pontuou Parreira. A princípio, o processo de formação possuiria 30 horas de duração, podendo ser dividido em três dias ou seis manhãs.

Para Hel, a reunião contribuiu para esclarecer as dúvidas dos representantes dos grupos de motociclistas e pediu agilidade a eles, já que pode levar até 40 dias até o fim do processo de formação, contando com a emissão de certificado e credenciamento. “Façam a coleta da documentação desses condutores o quanto antes, pois mesmo só com o certificado já é possível dar andamento ao alvará no Executivo. Saio satisfeito deste encontro e espero que a situação seja resolvida rapidamente”, frisou o parlamentar.