Exportações registram aumento de 31,4% em relação a outubro

Araraquara possui localização geográfica estratégica para o escoamento de mercadorias

88

A balança comercial de Araraquara registrou superávit de US$ 36,5 milhões, o que representa um aumento de 31,4% quando comparado ao mês de outubro e aumento de 31% na comparação anual com novembro de 2018. Segundo dados da Secretaria do Comércio Exterior e o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (SECEX/MIDIC), as exportações somaram US$ 39,9 milhões, e as importações, US$ 3,5 milhões.

Entre os produtos mais exportados encontram-se os sumos de frutas, com alta de 6% em relação ao mesmo período do ano passado; álcool etílico, com aumento de 4,5%; e açúcares de cana ou beterraba, cuja comercialização não ocorreu em novembro de 2018.

Por outo lado, a pauta importadora constitui-se, sobretudo, de plásticos e suas obras, com aumento de 13,6% na comparação com o mesmo período de 2018; máquinas e aparelhos para agricultura, com queda de 2%; e minérios de molibdênio que esteve ausente nas importações do município em novembro de 2018.

Araraquara possui localização geográfica estratégica para o escoamento de mercadorias, por esse e outros motivos, atrai empresas que buscam minimizar seus custos logísticos.

Isto posto, merecem destaque os pequenos setores, cuja participação atingiu 0,06% no total exportado pelo estado de São Paulo em novembro de 2019.

O Núcleo de Pesquisa Econômica do Sincomercio deu ênfase na participação dos pequenos setores, os quais contribuem significativamente para o saldo superavitário da balança comercial. A análise demonstra que seus principais países parceiros no período corrente foram a África do Sul, a Argentina, o México e a Rússia.

No que diz respeito a pauta exportadora, os principais produtos são os aparelhos para caldeiras, não comercializados no mesmo mês do ano anterior; aparelhos e dispositivos para aquecimento, cozimento e torrefação, com aumento de 33,8% na comparação interanual; e prensas esmagadoras para fabricação de vinho, sidra e sumos de frutas, cujo

aumento foi de 91,8% no mesmo período.