Do passado para o futuro a honra de Araraquara

O presente do cientista Frederico De Marco ao aniversário da cidade

78

Ronesier Corrêa

Nessa terça-feira (18), a Câmara Municipal de Araraquara aprovou por unanimidade, a ‘Carta de Araraquara’ ao Vice-Presidente general Hamilton Mourão. Em 23 de junho de 2020, completou-se 60 anos da morte do médico e cientista Dr. Frederico De Marco, e mesmo que ele tenha sido quase esquecido pela cidade, sua obra, realizada na maior parte da sua vida em Araraquara, está perpetuada na imprensa brasileira e estrangeira. Se hoje, o general Mourão é ouvido com respeito em palestras alertando sobre estarmos entrando nas Guerras Climáticas, o médico e cientista De Marco, mesmo sendo vítima de críticas e desdenhas, já alertava o mesmo perigo para o futuro, ainda nos anos 40.

E não é só isso, quando proibido de realizar em Araraquara, e até mesmo no Brasil, alguns dos seus estudos e experiências na medicina, humildemente ele enviou suas pesquisas e teses aos grandes laboratórios europeus e norte-americanos para tentar colaborar nos transplantes de órgãos sem que houvesse a rejeição dos pacientes receptores. E foi bem-sucedido. Ou seja, se fôssemos pensar em De Marco como ‘O Médico e o Monstro’, no exterior ele foi considerado um grande médico e no Brasil quase foi visto como um monstro. Quem sabe, se em tempos de Pandemia de Covid-19, o Dr. De Marco já não teria ajudado a descobrir uma cura ou uma vacina?

Enfim, fisicamente ele não está mais entre nós, brasileiros e araraquarenses, mas o seu legado permanece como o de um homem que viveu à frente do seu tempo e eternizou o nome de Araraquara, sem nunca esperar nada em troca. Parabéns a Araraquara por ter na sua história de 203 anos, uma figura tão ilustre como esta.