Desde maio, gasolina acumula alta de 13,62%

Levantamento aponta aumento de 1,97% no preço do combustível em setembro, na quarta elevação seguida

35

O pre√ßo m√©dio da gasolina comum no Brasil¬†subiu¬†1,97% em¬†setembro¬†na compara√ß√£o com¬†o m√™s anterior,¬†segundo¬†levantamento feito pela¬†ValeCard, empresa especializada em solu√ß√Ķes de gest√£o de frotas.¬†O valor, que¬†registrou¬†queda entre¬†janeiro¬†e maio,¬†j√° havia subido¬†em junho,¬†julho e¬†agosto¬†e¬†voltou a aumentar¬†em¬†setembro,¬†pelo¬†quarto¬†m√™s consecutivo, chegando a R$ 4,556¬†e acumulando uma alta de¬†13,62% em rela√ß√£o a maio.

Na quarta-feira (30), a Petrobras elevou o preço médio da gasolina em suas refinarias em 5%, o que provavelmente deve elevar o valor do combustível nas bombas nas próximas semanas. O aumento é o segundo seguido promovido pela estatal, após um reajuste de 4% na semana passada.

Em setembro, conforme a ValeCard, a maior alta do preço no país foi registrada no Amazonas (4,87%). Por outro lado, o Piauí registrou a maior queda no valor do combustível no período (-2,18%).

Obtidos por meio do registro das transa√ß√Ķes realizadas¬†entre os dias 1¬ļ e¬†29¬†de setembro¬†em cerca de 20 mil estabelecimentos, os dados mostram que¬†Rio Branco, Bel√©m e Rio de Janeiro¬†t√™m os pre√ßos mais altos entre as capitais. As capitais com pre√ßos mais baixos s√£o¬†Salvador,¬†Curitiba¬†e S√£o Paulo.

 Salvador e Curitiba têm menores preços entre as capitais 

As capitais da Bahia (R$ 4,087), do Paraná (R$ 4,092) e de São Paulo (R$ 4,215) foram as que apresentam preços menores em setembro. Já Rio Branco, no Acre, foi a capital com maior preço médio (R$ 5,003).