Dengue: Vigilância reforça importância da população no combate ao Aedes

Foram confirmados 2 casos em agosto, mas a infestação do mosquito fêmea continua sendo detectada nos quintais

29

Mesmo com os números de casos de dengue em queda em Araraquara nos últimos meses, a Secretaria Municipal da Saúde, através da Vigilância em Saúde, reforça a importância da participação da população no combate aos criadouros do mosquito Aedes aegypti, principalmente no interior das residências.

Em 2020, foram confirmados 213 casos de dengue na cidade, sendo a maioria no primeiro trimestre; 148 casos. Nos meses seguintes, os casos tiveram uma redução acentuada, fechando agosto com 2 casos confirmados.

No entanto, a pandemia de Covid-19 impôs mudanças significativas no trabalho casa a casa que vinha sendo feito sistematicamente desde o ano passado e os Apoiadores do combate à dengue, obedecendo as medidas sanitárias de prevenção ao novo Coronavírus, tiveram que interromper as vistorias realizadas nas residências de idosos – que são do grupo de risco – e também das pessoas com sintomas gripais.

Além disso, houve redução do quadro de pessoal, em cumprimento a medida judicial que determinou afastamento dos servidores públicos municipais com idade igual ou superior a 60 anos, com comorbidades, por integrarem o grupo de risco no contágio da doença. Muitos da área da Saúde que atuam no combate à dengue foram afastados, defasando as equipes de bloqueio.

Ao mesmo tempo, o monitoramento da infestação de mosquitos machos e fêmeas de Aedes aegypti que é realizado semanalmente pela Vigilância, indica progressão do número de fêmeas capturadas em diferentes bairros da cidade, mesmo as condições climáticas não sendo favoráveis à proliferação do mosquito.

Esse monitoramento vem sendo realizado no decorrer do ano e começou no fim de 2019 com instalação de armadilhas nos quintais das residências, que capturam a fêmea do mosquito.

Vila Xavier, Selmi Dei, Centro e Vila Harmonia são os bairros com maior incidência de infestação de fêmeas do Aedes, de acordo com análise feita nas últimas 30 semanas, aproximadamente, chamando a atenção dos gestores de saúde, que reconhecem a importância do combate aos criadouros nas residências.

Dessa forma, mesmo controlada na cidade, a dengue requer atenção constante e o combate ao mosquito Aedes aegypti precisa da colaboração da população, que deve manter sempre limpos os quintais e terrenos, eliminando qualquer tipo de inservível que possa juntar água e virar criadouro do mosquito da dengue. Também é importante colocar desinfetante nos ralos e limpar as calhas.

A participação de todos é fundamental.