Com 124 casos, Araraquara lidera o ranking de acidentes com postes na região

4
Araraquara lidera o ranking de acidentes com postes, totalizando 124 ocorrências em 2018

No mês em que se celebra a campanha de segurança no trânsito Maio Amarelo, levantamento realizado pela CPFL Paulista, distribuidora da CPFL Energia que atende 4,6 milhões de consumidores em 234 municípios do interior paulista, mostra que foram registradas 335 ocorrências de falta de energia em 2018 em função de colisões contra postes da rede elétrica. O número representa uma redução de 7,7% em relação aos 363 casos de interrupção do fornecimento pelo mesmo fator em 2017.

De acordo com o levantamento, Araraquara lidera o ranking de acidentes com postes, totalizando 124 ocorrências em 2018, uma redução de 18% frente a 2017. Em segundo lugar vem São Carlos, com 105 casos, queda de 16,6%, seguida por Ibitinga, com 40 ocorrências, um aumento de 60% em relação ao ano anterior.

Em média, cada ocorrência na região de Araraquara interrompe o fornecimento de energia para 55 clientes, com o tempo médio de restabelecimento de 3h30. O tempo de retomada do serviço se explica pelo fato de que as colisões contra postes exigem, muitas vezes, que a CPFL Paulista reconstrua a rede elétrica no local atingido, com a substituição do poste, conforme a dimensão do dano. Dependendo da gravidade do acidente, as equipes de campo precisam também aguardar a realização dos trabalhos da perícia policial.

No acumulado de 2019 (de janeiro a abril), os municípios da região somaram 92 registros de acidentes com postes. São Carlos lidera a lista das cidades com mais acidentes de trânsito envolvendo postes da companhia com 40 ocorrências, seguido por Araraquara (31), Matão (14), Ibitinga (6) e Itápolis (1).

O ranking absoluto de ocorrências no Estado de São Paulo é liderado por Campinas, maior cidade da área da concessão do Grupo CPFL. Com 1,18 milhão de habitantes, o município teve 1.155 casos de falta de energia por conta de colisão contra postes no acumulado de janeiro de 2017 a abril de 2019. Jundiaí, com 409,4 mil moradores, fica na segunda posição de ocorrências, com 895 colisões no período, seguida por Ribeirão Preto (682,3 mil habitantes), com 688 desligamentos em função deste fator.

Campanha Guardião da Vida no Maio Amarelo

Considerando o impacto do assunto para a população, seja na segurança do trânsito, seja na qualidade do fornecimento de energia, a CPFL Energia, por meio da campanha Guardião da Vida, incentiva a discussão sobre o tema, a fim de promover uma reflexão sobre as atitudes no trânsito que poderiam ser evitadas, reduzindo acidentes e salvando vidas.

Como parte do apoio ao movimento Maio Amarelo, a campanha Guardião da Vida promove ações que visam estimular a comunidade a adotar atitudes mais seguras como parte responsável pela vida de outras pessoas. Uma das ações é a Campanha Externa de Prevenção de Acidentes com Eletricidade (CEPAE), com palestras realizadas em escolas, associações de bairro, sindicatos de classe, empresas e lojas de material de construção.

Além do risco à segurança, os responsáveis pelos acidentes contra trânsitos podem amargar prejuízos financeiros. Nos casos em que a distribuidora identifica o culpado legal, este deve arcar com os danos causados ao patrimônio da concessionária. Os custos de substituição de um poste do sistema elétrico variam, normalmente, entre R$ 1,5 mil e R$ 3 mil.

Essa diferença de valores depende dos equipamentos instalados tanto pela distribuidora de energia como pelas empresas que ocupam a estrutura. Por exemplo, um poste com iluminação pública simples tem menor valor que aquele que sustenta um transformador de energia e equipamentos de telecomunicação.