Cidade registra diminuição de óbitos por câncer de mama

Dados comparativos entre janeiro e setembro deste ano e mesmo período de 2019 mostram redução de mais de 22% no número de mortes

16

O “Outubro Rosa”, que visa maior conscientização sobre como prevenir o câncer de mama, também marca um dado importante em Araraquara: diminuiu o número de óbitos pela doença este ano em comparação com o ano passado.

Dados da Secretaria Municipal de Saúde apontam que entre os meses de janeiro e setembro de 2020 foram registrados 14 óbitos com câncer de mama em Araraquara. Em 2019, durante os mesmos noves meses, 18 mulheres perderam a vida com a doença na cidade.

Estes números mostram que houve uma redução de 22,22% em relação aos óbitos e queda de 22,81% na taxa de mortalidade por câncer de mama no município.

Para o coordenador da Secretaria Municipal de Saúde, Edison Rodrigues Filho, a adoção de medidas preventivas em saúde e a ampliação da oferta de exames de mamografia para a detecção precoce foram relevantes para a diminuição.

Vale ressaltar que em Araraquara mulheres usuárias do SUS podem procurar por uma unidade básica de saúde mais próxima de suas residências, ou pelo Ambulatório de Saúde Integral da Mulher, na Avenida Osório, 184, no Centro, com telefone (16) 3331-3384 e e-mailambsaudemulher@araraquara.sp.gov.br.

Mesmo com a pandemia, todas as unidades de saúde da cidade oferecem condições para orientar usuários sobre as medidas de prevenção contra o câncer de mama, como o uso correto da máscara, a higienização das mãos e a não aglomeração de pessoas.

Às mulheres com idade entre 50 e 70 anos, que são mais propensas ao câncer de mama, são direcionadas as políticas de rastreamento, baseadas nas recomendações da OMS – Organização Mundial da Saúde.

Toda mulher a partir dos 40 anos com histórico de câncer de mama na família deve consultar seu médico sobre a necessidade da realização da mamografia. A partir dos 50 anos, mesmo sem sintomas nem histórico familiar da doença, deve fazer esse exame a cada dois anos.

O câncer de mama atinge anualmente cerca de um milhão de mulheres em todo o mundo, segundo a OMS, e é a maior causa de óbitos por câncer entre as mulheres, inclusive no Brasil.