Araraquara fecha mais de 2.500 postos formais de trabalho no primeiro semestre de 2020

Trabalhadores com ensino médio são a maioria entre os que perderam o emprego no período

29

Araraquara fechou o primeiro semestre de 2020 com retra√ß√£o no mercado de trabalho formal, registrando saldo negativo de 2.683 vagas, resultado decorrente de 12.259 admiss√Ķes e 14.942 desligamentos. No mesmo per√≠odo do ano anterior, a cidade havia expandido o n√ļmero de postos com carteira assinada em 817 vagas, como consequ√™ncia de n√ļmero maior de admitidos (15.632) e menor de desligados (14.815).

Os dados s√£o do Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), que divulgou recentemente os resultados de junho, m√™s em que o munic√≠pio registrou saldo negativo de 445 empregos formais, com 1.522 admiss√Ķes e 1.967 desligamentos. No entanto, o cen√°rio desse per√≠odo representa uma melhora em rela√ß√£o a maio, quando o n√ļmero de contrata√ß√Ķes foi menor (1.176) e de demiss√Ķes maior (2.056).

Os resultados, apurados pelo N√ļcleo de Economia do Sincomercio Araraquara, seguem a mesma dire√ß√£o do que foi observado nos √Ęmbitos estadual e nacional. Em junho, por exemplo, foram encerrados 13.299 postos de trabalho no Estado de S√£o Paulo, com 302.036 admiss√Ķes e 315.335 demiss√Ķes registradas. No mesmo per√≠odo, 895.460 trabalhadores foram contratados em todo o pa√≠s, enquanto 906.444 foram demitidos, gerando um saldo negativo de 10.984 vagas.

Segundo Marcelo Cossalter, pesquisador do Sincomercio, assim como ocorre nas esferas nacional e estadual, o n√ļmero de demiss√Ķes na cidade segue maior que o total de admiss√Ķes desde o in√≠cio da pandemia. ‚ÄúOs meses de mar√ßo e abril registraram os piores resultados para Araraquara, com o encerramento de 1.165 e 1.197 vagas, respectivamente. Posteriormente, houve uma melhora, com 880 vagas formais fechadas em maio e 445 em junho.‚ÄĚ

Ainda segundo o levantamento realizado pelo N√ļcleo de Economia, o estoque de trabalho no munic√≠pio, definido pela quantidade de contratos celetistas ativos, contabilizou 72.333 v√≠nculos em junho, o que representa uma varia√ß√£o de -0,61% em rela√ß√£o ao estoque do m√™s anterior (72.778) e de -3,2% em rela√ß√£o ao estoque existente em junho de 2019 (74.699).

Analisando o resultado mensal pelo g√™nero dos trabalhadores, houve aumento de 19% no n√ļmero de admitidos entre os homens e 51% entre as mulheres, em compara√ß√£o com maio.¬† As demiss√Ķes, por sua vez, ca√≠ram 10% entre os homens e cresceram 5% entre as mulheres. No primeiro semestre de 2020, do total de 2.683 demitidos, 936 foram homens e 1.747, mulheres. No mesmo per√≠odo de 2019, quando o saldo de contrata√ß√Ķes havia sido de 817 novas vagas, 725 eram do g√™nero masculino e apenas 92 do g√™nero feminino.

Do total de demitidos em junho, considerando o nível educacional, os mais afetados foram os que possuem ensino médio completo (36%), seguido dos trabalhadores com ensino superior completo (18%) e ensino fundamental completo (17%). Já ensino médio incompleto e ensino fundamental incompleto representam 12% do total, e superior incompleto aparece com 6%.

Na análise semestral, os mais afetados pelo fechamento de vagas por grau de escolaridade foram os que possuem ensino médio incompleto (57%), fundamental incompleto (17%) e ensino médio completo (16%). Na sequência, fundamental completo (7%), ensino superior completo (4%) e, por fim, ensino superior incompleto (1%).