Araraquara está entre as 10 melhores cidades de São Paulo para se viver

Município aparece em oitavo lugar em pesquisa realizada pelo Jornal Diário do Estado com base no IDHM

753

O Jornal Diário do Estado realizou uma pesquisa sobre as 10 melhores cidades pra se viver no Estado de São Paulo. Araraquara aparece no 8º lugar entre os melhores municípios onde se pode encontrar qualidade de vida, com base no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). De acordo com o portal, para a construção da lista foram usados dados oficiais. A metodologia do índice foi adaptada do IDH Global pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pela Fundação João Pinheiro.

Basicamente, são levados em conta três itens: vida longa e saudável (longevidade), acesso ao conhecimento (educação) e padrão de vida (renda). A partir dos cálculos de cada um desses fatores, se chega ao índice geral de IDHM, organizado no Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil.

Veja abaixo as 10 cidades paulistas com melhor desempenho no IDHM:

1) São Caetano do Sul

O município da região chamada de ABC Paulista, com cerca de 150 mil habitantes, está no topo das cidades com melhor IDHM no estado de São Paulo. O bom resultado se deve principalmente à renda per capita, que é R$ 2.043,74. Além disso, os índices de longevidade e educação também são bons, o que coloca o município não apenas como o mais bem colocado em nível estadual, mas também como a cidade com o maior IDHM no país, superando todos os outros 5.564 municípios brasileiros.

2) Águas de São Pedro

Esta pequena cidade, de apenas 2.700 habitantes, já havia ganho destaque no ranking das melhores pequenas cidades do Brasil para se viver, publicado pelo Sempre Família, em março. Naquela lista, Águas de São Pedro ficou com o primeiro lugar. Quando se consideram todos os municípios paulistas, independentemente do tamanho da população, o índice de 0,854 garante à cidade uma ótima segunda posição, o que comprova a qualidade de vida de Águas de São Pedro.

3) Santos

Com cerca de 420 mil habitantes, a maior cidade do litoral paulista tem IDHM de 0,840. De 2000 a 2010, o componente do índice no qual o município apresentou maior evolução foi a Educação, com crescimento de 0,093. Na Economia, Santos se destaca por abrigar o maior porto da América Latina, responsável por abastecer, principalmente, os estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. O turismo da cidade, naturalmente, também está vinculado às suas praias. Os jardins da orla de Santos formam o maior jardim frontal de praia em extensão do mundo.

4) Jundiaí

Cidade a noroeste da capital paulista com cerca de 370 mil habitantes, Jundiaí apresenta IDHM de 0,822 e dispõe de índices positivos em itens que vão além de renda, educação e longevidade. Em levantamento recente do Instituto Trata Brasil, a cidade ficou com o primeiro lugar no ranking de cidades paulistas com melhor saneamento básico entre municípios com mais de 300 mil habitantes e segundo lugar no ranking nacional, perdendo apenas para Uberlândia, em Minas Gerais.

5) Valinhos

Conhecida como Capital Nacional do Figo Roxo, a cidade de Valinhos, na região metropolitana de Campinas, também tem se destacado na agricultura pela produção de goiaba, sendo a maior produtora do país. Trata-se de um município jovem, fundado em 1953. Tem em torno de 107 mil habitantes e IDHM de 0,819.

6) Vinhedo

Município conhecido por abrigar um dos maiores parques de entretenimento do país, o Hopi Hari, Vinhedo tem IDHM de 0,817, índice puxado para cima, principalmente pelos índices educacionais. No ano passado a cidade recebeu o selo de cidade livre do analfabetismo. O município também se destaca pela produção de uva e pelos condomínios de alto padrão.

7) Santo André

A cidade do ABC Paulista apareceu em outra lista recentemente publicada pelo Sempre Família. Ela é a quinta melhor grande cidade do país para se criar os filhos e deve isso em parte ao seu bom IDHM de 0,815. Com 679 mil habitantes, Santo André viveu o auge da indústria automobilística na região décadas atrás, mas, com a migração de várias montadoras para a o interior do estado, diversificou sua economia, apostando nos setores de comércio e serviços.

8) Araraquara

Apresenta o mesmo IDHM de Santo André (0,815), mas fica um pouco atrás no item renda, o que coloca o município na oitava posição. A cidade está localizada na região central do estado, tem cerca de 224 mil habitantes e abriga um dos campus da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp). Há discordâncias quanto ao significado do nome da cidade. Uma versão o traduz do tupi com o significado “toca de arara”, mas há a hipótese de que a tradução mais precisa seja “morada do Sol”.

9) Santana de Parnaíba

Com 0,814 de IDHM, o município que pertence à Região Metropolitana de São Paulo possui em torno de 123 mil habitantes. A fundação da cidade, em 1580, remonta ao início da colonização no Brasil, o que faz dela uma das mais antigas do estado. A longa história também deixou como herança um Centro Histórico bastante visitado, que reúne em torno de 200 casas e construções datadas dos séculos XVII e XVIII. Trata-se do maior conjunto colonial do estado.

10) Ilha Solteira

Estrategicamente construída para abrigar os trabalhadores da Hidrelétrica de Ilha Solteira, no fim dos anos 60, o município é exemplo de urbanização e oferece atendimento universal de água, energia elétrica e saneamento básico para seus 26 mil habitantes. A cidade também abriga um campus da Unesp no qual funciona um grande centro de pesquisa responsável pelo desenvolvimento de tecnologia elétrica. O IDH é de 0,812.