APAE comemora 57 anos de fundação em Araraquara

Durante evento na entidade, Edinho defende cidade cada vez mais inclusiva

25
Nesta sexta-feira (28), o prefeito Edinho Silva participou de um café da manhã na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Araraquara, que reuniu sua diretoria e funcionários para comemorar o aniversário de 57 anos da instituição. O encontro respeitou todas as normas de segurança e prevenção ao coronavírus, com distanciamento nas cadeiras e uso de máscaras. A reunião contou também com a apresentação do vídeo institucional em homenagem ao aniversário da cidade.
Em sua fala, Edinho cumprimentou a APAE, lembrou das dificuldades vividas pelos seus dirigentes ao longo da história e falou sobre sua importância para a cidade. “Fica aqui todo meu reconhecimento a todos que trabalham, toda equipe técnica, todas as educadoras, educadores, profissionais da área da saúde, da assistência, da limpeza, da alimentação, da manutenção. Construir uma entidade como essa é uma junção de esforços, uma junção imensa. Claro que todo mundo que está aqui fez uma escolha profissional, mas pelo quanto que a Apae exige, não é só uma escolha profissional, é uma doação de vida. Trabalhar na Apae é literalmente uma opção de vida”, discursou.
O prefeito também salientou a necessidade da pessoa com deficiência ocupar seu espaço e ser protagonista, com suas próprias lideranças na luta por suas necessidades. “Temos que preparar a sociedade para que todas as crianças, pré-adolescentes, adolescentes e jovens com deficiência possam ser incluídos pelo sistema educacional, pelo sistema de trabalho e que possam construir suas vidas. Isso é uma sociedade inclusiva. E por mais que eu discurse aqui, isso não é fácil de fazer. Por isso que muitas vezes temos que radicalizar tanto no que diz respeito às pessoas que vivem com deficiência, radicalizar no ponto de vista dos espaços físicos, radicalizar no ponto de vista das políticas educacionais, das políticas de saúde, da geração de trabalho e renda, da geração de emprego. Uma cidade só será democrática quando ela for democrática para todos, não para aqueles que estão hegemonizados pelo pensamento majoritário que predomina na sociedade”, explicou Edinho.
A Apae de Araraquara foi fundada no dia 28 de agosto de 1963, em uma assembleia geral realizada no salão nobre da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Araraquara. É uma entidade filantrópica sem fins lucrativos e foi implantada na cidade nove anos após a fundação da primeira Apae no Brasil, no Rio de Janeiro. Seu propósito é atuar na promoção e defesa dos direitos da pessoa com deficiência. Atende a crescente demanda de pessoas com autismo e também pessoas com deficiência intelectual e múltipla que necessitam de apoio nas áreas de saúde, autocuidado, funcionalidade no ambiente doméstico, motora, comunicação, ocupacional, autodefesa, cognitiva, familiar, social e lazer, em busca da máxima autonomia ou cooperação e da participação efetiva em seu ambiente doméstico e na comunidade.
Presidida por Sérgio José, a instituição atende cerca de 380 famílias da cidade e possui sede própria, localizada na Avenida Cientista Frederico de Marco, na Vila Xavier, funcionando desde 1975. A Apae Araraquara ocupa uma área de 12 mil metros quadrados, doada pelo Município (10 mil metros quadrados foram doados em 1975 e os outros 2 mil metros quadrados foram doados em 2009). São vários os eventos beneficentes tradicionais realizados durante o ano pela Apae: Chá das Mães e Voluntárias (maio), Arraiá da Bondade (junho – realizado este ano em esquema de drive-thru), Comemorações do Aniversário da Apae (28 de agosto) e Feira da Bondade (novembro).
Apoio às pessoas com deficiência
Araraquara conta com a Assessoria Especial de Políticas para a Pessoa com Deficiência, vinculada à Secretaria Municipal de Planejamento e Participação Popular, que presta orientações e faz encaminhamentos quanto aos direitos e benefícios do ponto de vista legal. As pessoas com deficiência também possuem uma plenária temática no Orçamento Participativo. A implantação do Centro Dia Especializado, por exemplo, é uma conquista para a comunidade eleita como prioridade.
Araraquara também contou com a implantação do Centro de Referência Municipal especializado no atendimento de pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), que já está concluído e teve sua inauguração adiada por conta da pandemia do novo coronavírus.