Alberto Carlos Andreone, da RNP+Sol, recebe Honra ao Mérito

87

O prefeito Edinho participou, na noite de quinta-feira (24), na Câmara Municipal, da sessão solene de entrega do Diploma de Honra ao Mérito a Alberto Carlos Andreone de Souza, conhecido como Albert, um dos fundadores da ONG RNP+Sol (Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids). A homenagem foi indicada pela vereadora Thainara Faria (PT) e aprovada pelo Legislativo.

Em sua fala, Edinho lembrou a trajetória de Albert e de seu companheiro, Isaías, na luta pelo acolhimento digno às pessoas diagnosticadas com o vírus do HIV e pelos direitos dos homossexuais.

“A ONG RNP+Sol foi criada em 2004, mas seu trabalho em defesa da Saúde vem muito antes disso. O Albert tem uma história de luta pelos vulneráveis, pelos que não têm voz e vez. Esse título da Câmara é um reconhecimento a um cidadão que venceu adversidades e batalhou pelos direitos dos negros, dos homossexuais, das pessoas com HIV/Aids. Uma pessoa à frente de seu tempo e que deixa seu legado na história de Araraquara”, destacou o prefeito.

O presidente da Câmara Municipal, Tenente Santana (MDB), também destacou a história de superação de Albert. “Um menino criado na fazenda, que se esforçou para estudar. Surgiu um guerreiro que luta por uma legião de brasileiros. É uma homenagem mais que merecida”, declarou.

Para Thainara Faria, a Câmara tem obrigação de homenagear e reconhecer o trabalho feito por Albert. “Nós não somos nada se não honrarmos quem veio antes da gente. E vocês travaram lutas muito mais severas do que travamos aqui no dia a dia. Alberto é comprometido, engajado, dedicando o próprio tempo e colocando dinheiro do próprio bolso para ajudar o próximo”, lembrou a autora da homenagem.

Também presente na solenidade, o ex-ministro da Saúde e atual deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) elogiou o Legislativo pela iniciativa. “A Câmara fazer essa homenagem, com essa bandeira da luta LGBT na tribuna, dá uma energia danada para lutar contra o ódio e a intolerância neste País. O poder político tem que servir para isso. Para que aqueles que sentem medo estejam em casa. A vida do Albert é uma inspiração para todos nós”, opinou.

O companheiro de Albert, Isaías Ambrósio da Silva, relatou a história de como se conheceram e os momentos compartilhados. “Um casal homossexual vive a mesma coisa que o casal hétero. Amor, carinho, respeito, compreensão, brigas. O Albert é uma pessoa que nasceu no meio da plantação de cana, mas é uma pessoa rica de sabedoria, de amor ao próximo. Ele representa o Brasil na ONU na questão LGBT. Não sei se todos sabem isso. Obrigado, Albert, por existir na minha vida”, disse.

Por fim, Albert agradeceu a todos pela homenagem. “Nosso trabalho virou referência para o Estado e para o Brasil. Mas todos vocês fazem parte da construção desse trabalho. Vocês fazem parte da minha vida. Obrigado, Thainara, pelo carinho, pela atenção, pelo apreço”, afirmou Albert.

Ainda estiveram presentes no evento os vereadores Roger Mendes (Progressistas), Paulo Landim (PT) e Toninho do Mel (PT); a secretária de Planejamento e Participação Popular, Amanda Vizoná, e a assessora de Políticas LGBT, Filipa Brunelli, além de outros representantes do governo municipal; e familiares do homenageado: Isaura (mãe), Matilde (avó), Aline (filha) e demais familiares, amigos e amigas.

 

Biografia

Alberto Carlos Andreone de Souza nasceu em São Carlos, em 1965, mas ainda recém-nascido foi morar na Fazenda Marilú, no Chibarro. Aos 12 anos foi trabalhar no corte da cana na Usina Tamoio, onde estudava na escola local, a Gianinna Morganti, uma das melhores da região na época.

Mais tarde, para cursar o colegial, Albert vinha até a cidade com a perua escolar, estudava, dormia na casa de uma tia no Quitandinha, levantava às 5h da manhã e ia até o São José pegar carona com o gerente da usina; lá chegando, trocava de roupa e ia para a roça.

Em 1988, começou a cursar Estudos Sociais na Fefiara, atual Uniara (Universidade de Araraquara), depois de desistir do curso de Direito. Para pagar a faculdade, começou a trabalhar de garçom e, aos poucos, foi comprando seu material até abrir seu próprio negócio: o Alberto Buffet, que chegou a sair na Revista Caras e ficou funcionando durante 20 anos.

Albert ficou casado durante 13 anos com a namorada que conheceu após terminar o colegial, e dessa união nasceu Aline, hoje com 23 anos.

Já casado, passou a morar em Araraquara, onde trabalhou na Riachuelo e na Lupo. Trabalhou nos Correios, onde permaneceu por 15 anos, cinco deles como carteiro; depois foi operador de telecomunicações.

Em 2005, conheceu seu companheiro, Isaías Ambrósio da Silva, com quem compartilha sua vida de trabalho e militância até hoje. Com Isaías, protagonizou a primeira união estável homoafetiva oficial de Araraquara, em 13 de maio de 2011.

Os dois fundaram a ONG RNP+Sol (Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids) e também atuaram no Gaspa (Grupo de Apoio e Solidariedade ao Portador de HIV/Aids).

Alberto e Isaías também fazem parte do Fórum das ONGs Aids do Estado de São Paulo, que trabalha a qualidade de vida de pessoas vivendo com HIV/Aids e no acolhimento e orientação a LGBTs.