A cada três quilômetros, um profissional está pronto para ajudar nas rodovias concedidas de São Paulo

Foram 624.802 atendimentos no primeiro semestre, entre panes mecânicas, pré-hospitalares, pneus furados, panes secas e incêndios

23

“É muito bom saber que estamos sendo bem assistidos nas rodovias. Graças ao atendimento que recebemos, nosso filho está bem hoje. Posso dizer que os socorristas foram verdadeiros anjos em nossas vidas”, relatou o eletricista Paulo Sérgio Felismino, atendido por profissionais da concessionária AB Colinas quando fazia o parto da esposa em plena rodovia Santos Dumont (SP-075), em Campinas. Este é um exemplo dos diferentes tipos de ocorrências atendidas pelos mais de três mil profissionais que compõem as equipes das concessionárias reguladas pela ARTESP – Agência de Transporte do Estado de São Paulo. Em média, há um profissional pronto para ajudar a cada 3,6 quilômetros de rodovia concedida – no total, são 10,8 mil quilômetros de malha sob concessão no Estado de São Paulo.

Casos de partos como este ilustram que, apesar de os acidentes de veículos responderem pela maioria dos atendimentos, situações inusitadas fazem parte da rotina dos socorristas. Ocorrências envolvendo animais, mal súbito e objeto na via também demandam a atenção das equipes. Neste primeiro semestre, foram cerca de 138 atendimentos diários pré-hospitalares (APH) como o exemplo acima, somando 24.974 no total, 181.910 panes mecânicas, 40.106 casos de pneus furados, 20.075 panes secas, como são chamados os problemas por falta de combustível, 3.449 incêndios, entre outras. Ao todo, no período, foram 624.802 ocorrências, o que representa quase 3,5 mil atendimentos diários pelos profissionais das concessionárias.

Os serviços de resgate integram os contratos de concessão e são fiscalizados e acompanhados de perto pela ARTESP. Em média, o tempo de atendimento esperado para o atendimento pré-hospitalar que demanda ambulância é de 10 minutos para a chegada ao local e 20 para o transporte até a unidade de saúde. Para socorro mecânico, a espera estabelecida por um guincho é de 20 a 30 minutos. Após a chegada, o veículo é removido até o posto mais próximo.

“As concessionárias têm em seu quadro de funcionários profissionais altamente qualificados para os mais diferentes tipos de atendimentos”, afirma o diretor geral da ARTESP, Milton Persoli. “Nosso objetivo é sempre estarmos preparados para as mais diversas situações que possam ocorrer, garantindo o melhor atendimento ao usuário que trafega nas rodovias concedidas.”

Atendimentos de gestantes também foram registrados neste primeiro semestre nas áreas de cobertura das concessionárias Triângulo do Sol, Ecovias, Tamoios e Rodovias do Tietê.

Nascimento na rodovia 

Na tarde de 16 de julho, os socorristas Ednalda Alves Meneses e Marcus Vinícius Soares, da AB Colinas, foram acionados para atender a uma ocorrência de parto em andamento na rodovia Santos Dumont, em Campinas. Ao chegarem, se depararam com o eletricista Paulo Sérgio Felismino tentando realizar o parto da esposa, a consultora de vendas Fabiana Magalhães.

 “Assim que nós fizemos a abordagem do veículo, vimos que o bebê estava quase nascendo. Prontamente, nós nos paramentamos e assumimos a ocorrência, realizando o parto, garantindo o melhor atendimento para a criança e a mãe, que foram levados para dentro da ambulância para serem melhor atendidos”, revela Soares. “Fizemos a aspiração do bebê e o cobrimos com uma manta térmica. Vi que ele estava saudável, chorando e bem corado. A mãe estava tranquila e calma. Também a cobrimos, tiramos a placenta e fizemos o encaminhamento para o hospital HAOC de Indaiatuba”, conta Ednalda.

O eletricista contou que levava a esposa ao hospital, mas no caminho ela entrou em trabalho de parto e precisou encostar o carro para iniciar o procedimento com orientações dos Bombeiros, que recebia por telefone. Segundo ele, a agilidade e a eficiência da equipe de socorristas foram fundamentais para que tudo desse certo.

Saiba o que fazer em caso de necessidade 

Um bom planejamento é fundamental antes de pegar estrada, mas, como imprevistos podem acontecer durante as viagens, é importante que os motoristas tenham à mão os telefones das concessionárias e também da Polícia Militar Rodoviária (PMR) para avisar sobre algum problema que venha a acontecer. Consulte aqui os telefones 0800 de todas as concessionárias. Em caso de emergência, o usuário dispõe de outros canais de atendimento, entre elas o call box, que são os telefones instalados a cada km, em ambos os sentidos da rodovia, e também podem contar com o sistema de atendimento via wi-fi, já disponível nas Rodovias dos Tamoios (SP-099), SP-333 (Assis – Marília – Borborema) e SP-255 (Itaporanga – Araraquara).

As rodovias concedidas contam com 118 postos SAU (Serviço de Atendimento ao Usuário), que operam 24 horas por dia, onde é possível parar para descansar, ir ao banheiro ou obter auxílio mecânico. Os atendimentos emergenciais gratuitos são executados pelas concessionárias e estão previstos nos editais de concessão.

A estrutura de atendimento oferecida pelas concessionárias conta com mais de 3 mil funcionários destinados exclusivamente ao atendimento nas estradas, desde médicos, mecânicos, enfermeiros socorristas até agentes de manutenção e tráfego. Mais de 190 ambulâncias, 200 guinchos e 200 veículos de inspeção estão à disposição dos usuários que trafegam pela malha concedida.

Foto: Divulgação