Mantida a fase amarela, convenções recomeçam este mês na capital paulista

Eventos devem adotar os protocolos e ocupação parcial previstas no Plano São Paulo

52

A cidade de São Paulo, que em 29 de junho ingressou na fase amarela do Plano São Paulo de controle da covid-19, poderá voltar a organizar congressos e convenções a partir de 27 de julho, caso mantenha-se neste cenário.

“Com esta data conseguimos garantir uma previsibilidade, demandada pelo setor, sem colocar a saúde da população em risco”, disse Vinicius Lummertz, secretário de Turismo do Estado.

No retorno os organizadores e espaços de eventos deverão observar diversas normas de segurança. A ocupação total deverá estar limitada a 40% da capacidade, por exemplo. Outras regras: funcionamento máximo por 6 horas/dia, público sentado e com distanciamento, adoção dos protocolos gerais e específicos para aquela atividade, uso de máscaras em todos os ambientes, compra/inscrição antecipada e somente online, suspensão do consumo de alimentos e bebidas e controle de acesso de acordo com a lotação máxima.

Já para as feiras comerciais e industriais, que reúnem número maior de participantes, a previsão de retorno é para 12 de outubro, desde que nas quatro semanas anteriores a cidade esteja na fase verde do Plano São Paulo.

“Os eventos comerciais, assim como os shows e festivais, são parte importante do turismo no nosso estado, onde acontecem praticamente todas as grandes feiras e montagens, atraindo visitantes de todo o País”, lembra Lummertz.

Para estes casos também haverá limitações: ocupação máxima de 60%, o público poderá ficar em pé, porém mantendo o distanciamento (sinalizadas por marcadores), adoção de protocolos gerais e específicos, uso de máscaras em todos os ambientes, venda de ingressos ou inscrições online, com marcação de assentos e horários pré-agendados e controle de acesso para garantir a lotação autorizada.