Um homem sem ideal

16

Por Darcy Dantas

 

Fico penalizada quando deparo-me com pessoas sem ideal, sem motivação para a vida. Está difícil sim, mas mais difícil será viver sem ideal. Esforço-me para não perdê-lo.

Se assim for, seremos fracassados com certeza em nosso trabalho, em todas as nossas atividades.

Não ter ideal algum, é não ter ilusão na vida, é viver desiludido. Horrível. Não me refiro à ilusão “do” ouro, a ilusão banal, sim a ilusão que invada nossa alma, nossa vida, mesmo que da forma mais simples, mesmo com toda a ganância que nos ronda, daqueles que tem como meta roubar esse ideal.

Mas onde desejo chegar?

Não será suficiente que cada um de nós, só… penso eu, consiga o ideal para a vida. Necessário se faz, ( ai a importância do outro), que nos agrupemos, e que as pessoas tenham um ideal que seja bom  e igual para todos. O ser humano é um ser social, em sendo social jamais só, conseguirá encontrar a rota correta.

Se cada um tiver ideais diferentes será como uma peça que não saberá se encaixar nas demais. Um homem só, nada construirá.

Então, mãos à obra   tentando nosso ideal desejado.

Deixem que os “animais” famintos aos poucos deem fim (minha referência não é matar), esses seres que roubam engravatados comida dos famintos, remédios dos enfermos, como aconteceu há pouco tempo com a morte de uma criança que morreu porque esperou por seu leite , porque tinha fome , e só esse leite especial era sua salvação. Para ela era seu remédio, e ele jamais chegou. Mesmo com apelos desesperados de cidadãos de bem. Daqueles que se uniram para ideal comum. Mas esses engravatados, desalmados, ladrões de sonhos, de vidas, levaram com seu descaso mais uma dessas vidas entre tantas que se vão todos os dias. Matar assim pode? Não pode de forma alguma…mas não vi ninguém espernear por conta dessa barbárie.

Necessário que unidos lutemos por nossos ideais e pelas necessidades daqueles que de nós dependem e confiam. Mas só unidos.” Peça” isolada… de nada serve. Que todos tenham o direito de viver, não só os “arautos do rei”.