Mais disciplina no trânsito

174

Por Alessio Canonice

Muitas têm sido as campanhas de conscientização do trânsito junto à população, principalmente no que tange às multas, conforme estabelece a legislação neste sentido, o trânsito no país inteiro ainda é um dos problemas que mais chamam a atenção das autoridades competentes, visando algumas fórmulas de melhoria neste campo.

O número de pessoas que perde a vida, tanto nas cidades como nas rodovias, além daqueles que se tornam dependentes de cadeiras de rodas em decorrência da natureza com a qual sofreram acidentes, além dos ferimentos graves, deixam sequelas durante toda a vida e que se constituem nas tragédias que se sucedem diariamente.

São milhares de famílias espalhadas por todo o Brasil que enfrentam essas tragédias, além de perderem seus entes queridos, onde a emoção toma conta e se torna mais abrangente, à vista de muitos jovens que deixaram uma lacuna a seus familiares, quando os acidentes são de natureza constrangedora.

Nesses últimos meses, vários casos têm sido uma das grandes preocupações, às vezes, por falta de observação de quem está ao volante ou por culpa de quem provocou essas ocorrências e que têm ocorrido de várias formas, onde a preocupação atinge outras tantas famílias com o temor de novos acidentes.

A estatística sinaliza que as causas são as mais variadas, porém, em grande parte dos acidentes, é provocada por comportamentos inadequados de certos condutores de veículos, motocicletas, ciclistas e pedestres pela falta de atenção no que tange ao trânsito de uma maneira geral.

O Estado de São Paulo, por exemplo, como referência especial, possui as melhores condições de rodovias do país, onde se apresentam de uma forma bastante razoável, porém, mesmo assim, é claro, com menor escala, os acidentes têm sido constantes e fazem parte da própria estatística.

Importante salientar que o excesso de velocidade, certamente representa um dos principais motivos, entre eles, o uso de celular, quando o veículo está em movimento, além do desrespeito à sinalização, quando se apresenta com os dizeres “pare”, entretanto, existem aqueles condutores que, percebendo a possibilidade de ultrapassar o referido sinal, assim procedem, evitando perda de tempo, mas é preferível perder dois minutos de atenção do que perder a vida nesses dois minutos.

Em muitas situações a ultrapassagem em local proibido é praticada pela pressa do dia a dia na hora em que o atraso daquele que está ao volante, acaba por cometer sérios acidentes e prejuízos financeiros, quando a situação exige alguma indenização em favor da vítima que sofreu o acidente por negligência total do condutor do veículo.

É de se ressaltar que esses atos, embora pareçam de menor importância, podem custar vidas preciosas, sendo que a prudência é fator indispensável para haver uma redução do número de ocorrências, porém, com o crescente número de veículos que se sucede diariamente em todo o país, dificilmente teremos uma solução de forma a minimizar os acidentes que, por sinal, já se tornaram uma rotina em todo o mundo.

A falta de responsabilidade de muitos brasileiros ao volante têm contribuído para esse número constrangedor e assustador de ocorrências que se verificam em todos os quadrantes da Pátria. Muitas vezes em decorrência da embriaguês por parte daqueles que ingerem bebida alcoólica, uma prática pouco recomendada aos profissionais do volante.

Milhares de condutores estão com as carteiras suspensas com a proibição de dirigirem seus veículos, mas quando conseguem a restituição, voltam a cometer a mesma situação ocorrida anteriormente.

É de praxe ver casos de acidentes graves, inclusive mortes em que o motorista não tem o mínimo de responsabilidade para socorrer a vítima, visando se ausentar da culpa e muitos fogem da cena do acidente, negando socorro numa situação difícil do acidentado.

Torna-se necessária, portanto, uma mudança de comportamento de todos os envolvidos ao volante com total disciplina, para que tenhamos um trânsito salutar e mais saudável em benefício de toda a população.