LULA LIVRE: O QUE MUDOU PARA A CLASSE TRABALHADORA?

Walter Miranda

584

√Č triste ter que, neste artigo, dizer com franqueza o que penso sobre o meu ex-partido e o seu importante papel na atual conjuntura pol√≠tica nacional. Pensei que os quase 580 dias de pris√£o pol√≠tica do maior l√≠der oper√°rio da hist√≥ria do Brasil, serviria como profunda reflex√£o para uma completa reformula√ß√£o ideol√≥gica daquele Partido criado o ano de 1980, que tinha como propostas ‚Äúp√©treas‚ÄĚ: a) Luta por uma sociedade socialista sem explorados e exploradores; b) Luta por um governo dos trabalhadores; c) Luta por Reforma Agr√°ria sob o controle dos trabalhadores. A gente dizia publicamente: Trabalhador vota em trabalhador! Quem pica cart√£o n√£o vota em patr√£o! Quem sabe produzir, sabe governar!

Lula iniciou o seu primeiro discurso para os trabalhadores no seu ber√ßo pol√≠tico, dizendo: ‚ÄúEstou de volta!‚ÄĚ. Durante a pris√£o percebi que a maioria dos militantes petistas e lulistas sumiram das ruas, o que foi bom para a extrema-direita e os fascistas. A maioria absoluta dos petistas/lulistas esconderam as bandeiras e ficaram esperando as decis√Ķes da Justi√ßa burguesa e o momento de, pela via eleitoral, voltar √† dire√ß√£o pol√≠tica do Brasil.

Por diversas vezes tentamos construir a Greve Geral, a exemplo do que est√° acontecendo no Chile, Argentina, Fran√ßa e outros pa√≠ses, mas os petistas/lulistas ficavam exigindo que o PSTU aderissem √†s suas pol√≠ticas equivocadas de ficar esperando o ‚Äúmito‚ÄĚ Lula para retomar a luta rumo ao poder pela via eleitoral.

√Č sabido que o ex-presidente Lula e o PT chegaram √† situa√ß√£o que est√£o pelas pr√≥prias escolhas pol√≠ticas que fizeram, ou seja, se aliando e governando com a direita. As pessoas mais politizadas e conscientes no campo da esquerda no Brasil sabem que, infelizmente, o Partido governou para banqueiros, empreiteiras como a Odebrecht, OAS, UTC, etc. e outras que ‚Äúmamaram nas tetas‚ÄĚ do Estado corrompendo e se locupletando do patrim√īnio p√ļblico.

Alguns petistas, ingenuamente ou como defesa, questionavam: ‚ÄúE os outros pol√≠ticos, porque n√£o foram presos?‚ÄĚ. √Č claro que √© revoltante ver que neste pa√≠s, neste sistema capitalista injusto e excludente, rico n√£o vai pra cadeia. Penso, no entanto, que o grande l√≠der da classe trabalhadora n√£o poderia ter se aliado a essa gente. Foi sofrido ver o PT e o Lula se aliando ao Sarney, Renan Calheiros, Temer, Maluf, Collor e outros pol√≠ticos corruptos para serem eleitos e governar o Brasil.

Parte dos militantes do PSOL tem assumindo o discurso de que a condenação e prisão do Lula foi um ataque à democracia e ao estado de direito, um aprofundamento de um golpe que começou com o impeachment da Dilma. Reconheço que o Lula é uma importante liderança e, com outra linha ideológica, pode unir as esquerdas, inclusive o PSTU.

Para os trabalhadores e o povo pobre, todos os corruptos e corruptores, de direita ou de esquerda, deveriam estar na cadeia e ter todos os seus bens confiscados e suas empresas expropriadas. Essa é resolução política do PSTU, meu Partido. Aprendi, militando no PT na década de 80, que a Justiça burguesa é, e sempre foi, seletiva e tem favorecido os ricos.

√Č preciso exigir julgamento, condena√ß√£o e pris√£o de Temer, A√©cio, Jos√© Serra e toda quadrilha encastelada no Estado brasileiro, incluindo os empres√°rios corruptores, pois tamb√©m s√£o ladr√Ķes dos recursos p√ļblicos desse pa√≠s. √Č preciso confiscar os bens de todos eles e usar a suas fortunas para proporcionar sa√ļde e educa√ß√£o para a popula√ß√£o.

O lament√°vel √© ver o Lula, livre da pris√£o, defender a volta da Marta Suplicy ao PT e ser a candidata a prefeita de S√£o Paulo em 2020, ou vice de Haddad. Ser√° que os petistas hist√≥ricos no campo da esquerda e o ‚Äúaliado‚ÄĚ PSOL v√£o aceitar isso? Dilma, com raz√£o, n√£o quer a volta da traidora Marta. Em 2016, quando senadora, com tom de vingan√ßa, ela disse que n√£o tinha pena de votar a favor do impeachment de Dilma.

Assim, ficam as perguntas: ‚ÄúLula livre, o que mudou no PT e para a classe trabalhadora?‚ÄĚ. Vai continuar valendo tudo para, pela via eleitoral, retornar aos governos? O que vai mudar para a trabalhadora pobre, desempregada e na mis√©ria?

WALTER MIRANDA, militante do PSTU e CSP-CONLUTAS, dirigente do SINSPREV/SP e presidente do SINDIFISCO-NACIONAL/Delegacia Sindical de Araraquara.