Ignácio morada do sol Loyola Brandão…!

72

Por Pedrinho Renzi

 

Uma Folha ferroviária

Trafegando através de um trem fantasma

Nas trajetórias do sol

Memórias vivas do conteúdo de um deus que atravessa o coração literário…

Somos profetas de um tempo passado e futuro

Entre ferroviários e ferroviária… de esporte!

Um esporte bretão dos craques da Ferroviária que chegariam longe em Portugal.

Na redação a máquina de escrever não para e revive um tempo da vida coletiva

Os tempos provincianos passariam

E as marcas do futuro estão acesas na escrita de dentes ao sol

Como se fossem o ultimo verso de Fernando Pessoa… escrito por Loyola Brandão!

Ou ainda o sacristão que acende a ultima vela para o diabo

Matriz de todos os povos…

Orgulho araraquarano!

E a passarela da vaidade…

Sempre a letra e a escrita entre os tonéis da sua prodigiosa Memória histórica, social, literária imaginária…

E a vida continua como o crime de linchaquara ou arealva…

Crimes da paixão, como se o beijo viesse apenas da boca!

A vida excede o papel entre escritores preferidos e viajados

Colasanti, Torres,… Veríssimo,…Milton Hatoum…

Ou quem sabe uma volta ao século XIX com Charles Dicksen…

E o homem que tinha mãos do sol virou as mãos escuras da vida

Num tempo de cinzas e do

Abaixo a censura!

Abaixo todos os regimes totalitários!

Do verde que violentou o Muro… e caiu!

A liberdade de escrever no ato imaginário da vida dos dentes ao sol…

Perseguindo e amparando talentos e revivendo a vida cotidiana e cronista da nossa terra ou morada que sempre irá ser do

SOL

O SOL do Cronista Ignácio de Loyola Brandão será sempre…:

O INDÍCE da estória!